Notícias

Philip Roth escreve conto em parceria com menina de oito anos
21/11/2012

 



20/11/2012-21h00

A aposentadoria do escritor Philip Roth anunciada em outubro não é para já. Aos 79 anos, o norte-americano tem ainda projetos em mãos.

Em uma entrevista ao jornal "The New York Times" --a última que dará, garante--, Roth fez um balanço da sua carreira, aparentemente sem arrependimentos e falou do trabalho "frustrante" de escrever romances.

Único autor americano vivo a ter a sua obra publicada em uma edição completa e definitiva pela Library of America, Roth agora termina um conto escrito a quatro mãos e via e-mail com uma menina de oito anos, filha de uma ex-namorada, disse ao jornal americano, sem revelar detalhes.

"Sei que não vou escrever tão bem como costumava. Já não tenho resistência para lidar com a frustração. Escrever é frustrante - é uma frustração diária, quase uma humilhação. É como o beisebol: falha-se dois terços do tempo", admitiu ao jornal.

Gilberto Tadday/Folhapress
O escritor Philip Roth, em seu apartamento em NY
O escritor Philip Roth, em seu apartamento em NY

Philip Roth é considerado por muitos um dos maiores escritores da atualidade, é autor de uma vasta obra (31 livros, desde sua estreia em 1959) que inclui títulos como "O Complexo de Portnoy".

O projeto que mais o ocupa no momento é o da sua biografia. Para a tarefa, Roth escolheu o autor Blake Bailey, que já escreveu sobre as vidas de Richard Yates e John Cheever. "Já não sou responsável por explorar a minha vida. Precisava dela como suporte para a minha ficção, pois tenho de ter qualquer coisa sólida debaixo dos pés quando escrevo. Não sou um fantasista", disse Roth.

Segundo o autor, a decisão de parar de escrever começou a desenhar-se em sua mente logo após a conclusão de "Nêmesis", romance sobre uma epidemia de poliomielite que em 1944 atingiu a cidade onde nasceu, Newark, mas Roth preferiu esperar.

"Não disse nada porque quis ter certeza de que estava decidido. Pensei: 'Não anuncie uma coisa para depois voltar atrás.' Não sou o Frank Sinatra."

Fonte: Folha de SP/Ilustrada