Notícias

SP tem novo padrão para medir qualidade do ar
06/05/2013

 

A atualização visa à melhora do ar e da qualidade de vida dos paulistas

 

Um decreto publicado nesta quarta-feira 24, no Diário Oficial prevê a elaboração de um plano de controle de poluentes em fontes fixas e móveis nas áreas mais críticas. O Governo do Estado já havia estabelecido novos padrões de qualidade do ar, com metas progressivas para as concentração de poluentes na atmosfera.

Já em vigor, os padrões, definidos em uma proposta da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) estabelecem metas intermediárias que devem ser cumpridas, até chegar ao padrão ideal.

De acordo com o novo decreto, as mudanças devem acontecer em três etapas diferentes. Imediatamente será aplicada a meta 1, que é de até 120 microgramas/m3 para o material particulado. Após este período, a partir de análises da situação, a agência definirá quando entrará em vigor as metas mais rígidas.

Novos padrões também foram estabelecidos para dióxido de enxofre, dióxido de nitrogênio, ozônio, material particulado 2,5 e chumbo, com padrões mais rigorosos para se estabelecer a qualidade do ar no Estado.

Os padrões atuais têm mais de 20 anos e estavam até três vezes menos rígidos do que os estabelecidos pela OMS em 2005. Pelos padrões usados hoje na CETESB, a qualidade aceitável de poeira (material particulado) que os paulistanos respiram num dia é de 150 microgramas por metro cúbico.

Do Portal do Governo do Estado