Notícias

Livro faz tributo a Gilberto Freyre e à gastronomia de Pernambuco
24/05/2013

 

Maria Lecticia Cavalcanti é estudiosa da obra do sociólogo.

 


23/05/2013 14h15 - Atualizado em 23/05/2013 14h15



Do G1 PE







 




Relação do povo pernambucano com a culinária está presente nas obras de Gilberto Freyre (Foto: Divulgação / Acervo Fundação Gilberto Freyre)

Relação do povo pernambucano com a culinária está presente nas obras de Gilberto Freyre. Na foto, ele com a esposa Magdalena e o filho Fernando, na Alemanha (Foto: Divulgação / Acervo Fundação Gilberto Freyre)

A relação do sociólogo pernambucano Gilberto Freyre com a comida sempre esteve presente em suas obras. Em “Casa Grande & Senzala”, “Sobrados e mucambos”, “Ordem e progresso”, só para citar os livros mais conhecidos, há muitos relatos sobre a culinária de Pernambuco. Para reunir análises freyrianas sobre alimentos e o prazer de se estar em torno da mesa, a pesquisadora Maria Lecticia Monteiro Cavalcanti lança, nesta quinta-feira (23), às 17h, n'O Pátio Café, nas Graças, Zona Norte do Recife, o livro “Gilberto Freyre e as aventuras do paladar”.


"Este livro foi concebido como um tributo a esse grande mestre, para permitir, sobretudo entre não iniciados, melhor compreensão de seu pensamento sobre os sabores", disse Maria Lecticia, em entrevista ao G1. Ela conta que começou a se interessar mais pela temática gastronômica abordada pelo sociólogo depois que percebeu que apenas "Casa Grande & Senzala" e "Açúcar" eram os poucos livros do pernambucano a serem citados em seminários e palestras sobre o assunto. "Comecei, por curiosidade, a procurar em outros livros. E os alimentos estavam presentes em todos eles, inclusive em 'Quase política' e 'Discursos parlamentares', em que estão suas falas como deputado federal", destacou.


A autora conseguiu identificar, através de pesquisas sobre o sociólogo, que ele descrevia a culinária pernambucana como balanceada. "Para ele, a principal característica da cozinha pernambucana é o equilíbrio. Não há nela, segundo Freyre, 'o predomínio da tradição africana, como na Bahia; nem o da tradição indígena, como no Pará e no Amazonas; também não se afirmaria em Pernambuco nenhum exclusivismo de tradição européia que artificializasse a cozinha dos senhores de engenho'".


Brinde entre Gilberto Freyre e Manuel Bandeira (Foto: Divulgação / Acervo Fundação Gilberto Freyre)

Brinde entre Gilberto Freyre e o poeta Manuel Bandeira (Foto: Divulgação / Acervo Fundação Gilberto Freyre)

Maria Lecticia pesquisou por quatro anos elementos da cozinha que ajudaram a construir a cultura ao longo dos séculos. Os assuntos foram divididos por temas, distribuídos em 20 capítulos, com citações de Gilberto Freyre em seus 78 livros publicados durante a vida, e também os oito póstumos e outras publicações.


"No início, a ideia era organizar por ordem alfabética, como um dicionário. Mas compreendi que Gilberto Freyre merecia um pouco mais de esforço meu. Dividi em uma sequência lógica, por temas, agregando observações quando entendi pertinentes, permitindo, assim, que o leitor possa conhecer seu pensamento por suas próprias palavras", explicou.


Serviço
Lançamento do livro "Gilberto Freyre e as aventuras do paladar", de Maria Lecticia Monteiro Cavalcanti
Quinta-feira (23), às 17h
O Pátio Café - Avenida Rui Barbosa, n° 141 - Graças


http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/05/livro-faz-tributo-gilberto-freyre-e-gastronomia-de-pernambuco.html