Notícias

Votação da Lei Geral da Copa é invalidada e texto será votado novamente
01/03/2012

 


Wagner Oliveira


Publicação: 29/02/2012 19:02


A novela em que se transformou a aprovação do projeto da Lei Geral da Copa ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira (29/02). Um dia após votar a favor do texto-base, a Comissão Especial descobriu que terá de refazer todo o trabalho na terça-feira da semana que vem. Em vez de deliberarem acerca dos destaques (possíveis alterações no texto), como previsto inicialmente, os deputados terão que, mais uma vez, apresentar suas propostas de mudanças e aprovar novamente o texto elaborado pelo relator do projeto, deputado Vicente Cândido (PT-SP).


Presidente da Comissão Especial, o deputado Renan Filho (PMDB-AL) explicou que o motivo do retrocesso foi uma falha em relação ao regimento da Casa. "Teremos que votar o relatório da Copa de novo porque, quando concluímos a votação na comissão (na terça-feira), já tinha começado a ordem do dia no plenário", informou, lembrando que não é permitido realizar duas votações simultaneamente. Assim, o texto-base volta à pauta e os destaques feitos na reunião de terça, que tratavam de assuntos polêmicos e delicados — como a liberação da venda e do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios e a realização de sorteios públicos para a venda de ingressos — não valem mais.


Hoje, a comissão deveria ter se reunido para votar os destaques propostos na terça. Como os parlamentares não tiveram tempo para costurar acordos acerca das alterações, a reunião acabou não ocorrendo. Terminou adiada para 6 de março, inicialmente às 10h. O motivo oficial foi a votação de duas medidas provisórias e dos destaques do projeto que prevê a criação do Fundo de Previdência dos Servidores Públicos (Funpresp), mas o próprio relator admitiu que os dias extras para negociar serão positivos. "Em se tratando de parlamento, o tempo costuma ser uma boa solução para os problemas", declarou Cândido.


Fonte:Correio Braziliense/Brasil/Economia/Política