Notícias

Alckmin extingue secretaria e decreta redução de custos
28/06/2013

 

Trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano será absorvido pela Casa Civil

 

"Nós reduzimos as tarifas de Metrô, de trem, de ônibus da EMTU [Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos] e isso implica em redução de receita", declarou o governador Geraldo Alckmin nesta sexta-feira, 28, no Palácio dos Bandeirantes ao anunciar um conjunto de medidas visando corte de despesas no custeio do Estado. Entre as ações está a extinção da Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano.

Outra medida anunciada pelo governador é a fusão de três fundações: Cepam (Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal) Fundap (Fundação do Desenvolvimento Administrativo) e Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados). Os três órgãos passam a integrar uma só fundação do Estado.

O conjunto de medidas vai gerar uma redução de custos de R$ 129,5 milhões só em 2013. Para o ano que vem, a projeção é que a economia seja de R$ 226 milhões.

Segundo Alckmin, o trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano será absorvido pela Secretaria da Casa Civil. Uma das atribuições da pasta é a organização das regiões metropolitanos paulistas. Esse trabalho, disse o governador, será ampliado. "Com isso a gente pode ter uma secretaria a menos sem nenhum prejuízo para a população", destacou Alckmin.

O pacote de ajuste fiscal do Estado de São Paulo inclui ainda, entre outras medidas, redução da frota de veículos e venda de um helicóptero de deslocamento do governador, redução de passagens, áreas meio (responsáveis pela eficiência da gestão pública), água, luz, combustível, telefonia, renegociação de contratos, extinção de uma autarquia e de uma empresa estatal. "Com isso nós não afetaremos um centavo os investimentos do Governo que são necessários para poder gerar mais emprego e melhorar os serviços públicos", afirmou.

Para reduzir a frota, foi colocado à venda o helicóptero utilizado pelo governador, o que vai gerar uma economia de R$ 4,5 milhões/ano. A locação de veículos será reduzida em 10%, com exceção para as secretarias de Segurança Pública, Saúde e Educação, o que deve gerar uma economia de R$ 6,5 milhões. E 10% da frota de veículos próprios será vendida, proporcionando economia de R$ 3,1 milhões (exceto Saúde, Segurança Pública e Educação).

Do Portal do Governo do Estado