Notícias

Instituto Butantan inaugura prédio de coleções zoológicas
27/09/2013

 

Novo edifício é o mais moderno e seguro da América Latina

 



Ter, 24/09/13 - 13h20

O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta terça-feira, 24, o novo prédio de coleções zoológicas do Instituto Butantan. Com modernas ferramentas de prevenção de incêndios, o edifício abrigará o acervo de herpetologia da instituição, que conta com espécies de répteis, anfíbios, aracnídeos e insetos. O local é o mais moderno e seguro prédio deste tipo da América Latina e recebeu investimentos de R$ 5,5 milhões. O antigo edifício havia sido destruído por um incêndio em 2010.

LEIA TAMBÉM
Avanço na ciência: Fapesp estimula internacionalização da pesquisa no Estado
Instituto Butantan testará vacina contra a dengue em seres humanos

Conheça o trabalho inovador do Instituto Butantan nas áreas de ciência e saúde

Com dois andares, o local conta uma área total de 1.600m². A parte que abrigará as coleções foi dividida em sete salas. Há melhor distribuição e organização dos espaços separando escritórios, laboratórios e demais alas administrativas da área onde as coleções serão acomodadas.

"Essas coleções são importantíssimas para pesquisas, para a diversidade da questão dos animais, e o objetivo final é a saúde da população. Antigamente, uma pessoa mordida por uma cascavel, uma urucu, era muito difícil de sobreviver. Hoje soros são extremamente eficazes, são específicos e salvam a vida das pessoas quando feito rapidamente", explicou o Governador.

Um dos diferenciais do prédio é o moderno sistema de segurança para prevenção de incêndios através do gás FM 200, que absorve o calor e reduz o fogo em até 10 segundos. Além de ser ambientalmente aceito e não prejudicial ao ser humano e ao acervo, o gás não deixa resíduos e resinas nos materiais. Além disso, o local conta com um sistema de escoamento de álcool e demais líquidos, levando-os em questão de minutos para uma caixa subterrânea, externa ao prédio.

Outra novidade é a instalação de um laboratório que permitirá que os cientistas façam análises genéticas das coleções com modernos aparelhos de biologia molecular e sequenciamento genético. Os profissionais poderão fazer a extração do DNA antes de guardar os animais nos bancos de tecidos e, posteriormente, depositá-los nas coleções.

Do Portal do Governo do Estado

http://saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=232843#5