Notícias

Viracopos adotará check-in unificado
08/11/2013

 

Novo sistema prevê que passageiros de todas as empresas usem qualquer máquina de autoatendimento

 

Já nos balcões do novo terminal, espaço das companhias aéreas será variável de acordo com a demanda do dia

LUCAS SAMPAIO
DE CAMPINAS

O check-in deve ficar mais rápido no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), com a inauguração do novo terminal, prevista para maio.

Os passageiros poderão fazer check-in em qualquer estação de autoatendimento, independentemente da companhia aérea. Além disso, o número de guichês de cada empresa será variável ao longo do dia, conforme a demanda.

A implantação de uma plataforma única de processamento de informações de check-in, despacho de bagagens, embarque e desembarque está por trás dessas mudanças. A operação ficará a cargo da Aeroportos Brasil Viracopos, concessionária que administra o aeroporto.

O modelo é inédito no Brasil. Hoje, cada companhia aérea tem espaço físico e sistema próprios. O aeroporto de Toronto e o terminal 5 de Heathrow, em Londres, serviram de inspiração para o sistema integrado.

No total, haverá 144 guichês e 50 totens.

A segurança também será reforçada, com a instalação de 1.007 câmeras --10% delas farão reconhecimento facial e de placas dos veículos.

As imagens, que poderão ser compartilhadas com a polícia, passarão por duas centrais de vídeo monitoramento, segundo a concessionária.

Para que todos os sistemas sejam testados antes da inauguração do novo terminal, um laboratório de análise começa a funcionar hoje.

Ele será usado para gerenciar a implantação de todos os sistemas e equipamentos, desde som, telefonia e internet até escadas e esteiras rolantes e máquinas de raio-X.

"Como o cronograma está apertado, seria impossível começar os testes só quando o novo terminal ficasse pronto. Ganhamos pelo menos seis meses", disse o diretor de operações Marcelo Mota.

O custo do sistema é R$ 250 milhões --o terminal está orçado em R$ 2,1 bilhões.

A ampliação de Viracopos começou em setembro do ano passado, após o aeroporto ser concedido à iniciativa privada. A primeira etapa envolve a construção de um terminal para 14 milhões de passageiros por ano e um edifício-garagem para 4.000 veículos.

O atual terminal foi projetado para transportar 3,5 milhões de passageiros ao ano, mas recebeu 8,8 milhões de pessoas em 2012.

Folha de S. Paulo