Notícias

Progressão continuada será aprimorada na rede estadual em 2014
08/11/2013

 

Ensino Fundamental será dividido em três etapas: do 1ª ao 3º ano, do 4º ao 6º ano e do 7º ao 9º ano

 

O sistema de progressão continuada das escolas estaduais passará por uma atualização em 2014. A partir do ano que vem, o Ensino Fundamental passa a ser de três ciclos, com possibilidade de reprovação na terceira, na sexta e na nona série. A medida mudará a vida escolar de 2,5 milhões de estudantes.

Até esse ano, o Ensino Fundamental, que já teve oito anos e agora é composto por nove anos, compreendia dois ciclos e, portanto, duas avaliações para reprovação do aluno, sendo uma na quinta série e outra na nona.

O governador Geraldo Alckmin define a mudança como histórica e defende que a divisão em três ciclos dentro do Ensino Fundamental é um aperfeiçoamento da progressão continuada. "São dois objetivos: primeiro avaliar no terceiro ano, para não ficar cinco anos sem avaliação para reprovação, isso tem um caráter pedagógico, de o aluno saber que ele pode ter a reprovação; e no sexto ano porque é o aluno que está vindo de fora", explicou. Segundo a Secretaria da Educação, 82% dos alunos que ingressam no sexto ano (atual início do segundo ciclo), saem da rede municipal de ensino.

"É fundamental que haja no início do [atual] ciclo II, uma avaliação desse jovem para efetivamente avaliar se ele tem condições de continuar avançando ou não", afirmou o sceretário de Educação, Herman Voorwald.

O novo plano de ensino é amparado por ações, estudo e consultas à rede iniciados em 2011. Foram mais de 70 encontros por todo o Estado com a presença do secretário reunindo mais de 20 mil profissionais da rede ao longo dos últimos três anos.

"A progressão continuada é correta, tanto é que hoje do primeiro ao terceiro ano está implantada no Brasil inteiro, é uma política pública do MEC. A reprovação leva à evasão escolar, ao abandono da escola, cria na criança a cultura do fracasso, mas de outro lado é preciso ter uma questão pedagógica, não pode ficar cinco anos sem ter, para aqueles casos em que há necessidade, nenhuma reprovação", ponderou o governador.

Acompanhamento do aluno

A nova estrutura permitirá o acompanhamento permanente do aluno ao longo dos ciclos, também, por meio das novas ferramentas de recuperação escolar, como a recuperação contínua, na qual as classes contam com um professor-auxiliar, que dá suporte ao docente titular para o atendimento dos jovens com necessidade de reforço.

Atualmente, mais de 149 mil estudantes da rede estadual passam por alguma modalidade de recuperação. Na "intensiva" são atendidos 22 mil alunos. Já na modalidade "contínua", 31 mil professores-auxiliares dão suporte para os docentes titulares na recuperação imediata do conteúdo para 127 mil alunos.

Existe ainda a recuperação nas férias escolares, que atendeu 70 mil estudantes no último mês de julho, e o reforço aos sábados, que somente em outubro foi indicado para 215 mil jovens.

Avaliação diagnóstica bimestral

A partir de 2014 a Avaliação Diagnóstica da rede estadual ocorrerá ao final de cada bimestre. O instrumento permite que os professores tenham um relatório personalizado de aprendizado por aluno. A ação soma-se ao Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), com avaliação não individualizada, que a Secretaria realiza anualmente.

Do Portal do Governo do Estado