Notícias

Governo deve adiar exigência de itens de segurança em carros
11/12/2013

 

MARIANA SCHREIBER
DE BRASÍLIA

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira (11) que o governo deve adiar a obrigatoriedade de novos itens de segurança em 100% dos carros vendidos no país que começaria a valer em 2014.

Hoje, itens como air bag frontal duplo e freio ABS estão presentes em 60% dos carros novos, segundo Mantega. Com a extensão dos itens para toda a frota, os preços dos carros subiriam. Levando em conta o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), mais alto, e a instalação obrigatória de airbags e de freio ABS, o aumento no preço de carros populares poderia chegar a 9,6%.

"Estamos preocupados com o impacto disso no carro, eleva o preço em R$ 1.000 a R$ 1,5 mil", disse ao chegar ao Ministério da Fazenda.

Segundo Mantega, o governo estuda tornar gradual a extensão dos itens a 100% dos carros novos e um ou dois anos.

"Nós estamos estudando o que fazer com isso. Possivelmente, nós vamos adiar a entrada em vigor. Provavelmente, nós vamos diferir isso em um ou dois anos", acrescentou.

A indústria mostrava preocupação com a coincidência da entrada em vigor dos novos itens e a retomada do IPI no ano que vem. Ambas trazem impacto no preço do carro e poderiam acentuar a tendência de desaceleração nas vendas esperada para 2014.

A mudança pode dar uma sobrevida a modelos que teriam de sair de linha por não atender as novas exigências, como a Kombi. O iminente fim da produção do histórico modelo da Volkswagen ganhou repercussão internacional e virou mote de campanha publicitária da marca.

Folha de S. Paulo