Notícias

Quixote: Entre a Palavra e a Imagem
19/12/2013

 



EXPOSIÇÃO QUIXOTE, ENTRE A PALAVRA E A IMAGEM

INAUGURAÇÃO DIA 12 DEZEMBRO DE 2013

Laboratório de Conservação de Obras Raras e Especiais

Laboratório de Digitalização e Preservação Digital

Sistema Integrado de Bibliotecas

São Paulo
2013

SOBRE A EXPOSIÇÃO

Em 12 de dezembro de 2013, às 16h, o Sistema Integrado de Bibliotecas da USP inaugura seus novos espaços no Complexo Brasiliana USP, especialmente Espaço de Mostras Periódicas das Coleções de Obras Raras e Especiais, o Laboratório de Conservação de Obras Raras, o Laboratório de Digitalização e Preservação Digital a Biblioteca de Obras Raras e Especiais do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP.


Para comemorar tal inauguração, foi projetada a exposição Quixote, entre a palavra e a imagem, com base na Coleção Cervantina Publio Dias, constituída pelo médico pernambucano Sebastião Públio Dias da Silva, focada na obra do espanhol Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616), “O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha”, adquirida ou recebida por doação de amigos e figuras ilustres (como Manuel Bandeira, Jorge Amado dentre outros).


A Coleção Publio Dias constitui um acervo cervantino valioso que se caracteriza sobretudo por reunir edições ilustradas do Quixote. A coleção, com mais de 700 volumes, contém edições publicadas em 35 idiomas, em tempos remotos e em formatos especiais. Dentre muitas edições dignas de nota seria possível destacar algumas como a primeira edição ilustrada em espanhol de 1662, a edição em espanhol de 1719 que constitui um exemplo do modelo iconográfico holandês, a edição em alemão de 1780 com ilustrações magníficas, a edição francesa de 1836 que é abundantemente ilustrada e que teve grande ao longo do século XIX, a primeira edição completa em catalão publicada em 1936, a segunda edição da famosa ilustrada por G. Doré, uma edição microscópica de 1902, a primeira edição ilustrada por Dali publicada em inglês em 1946, uma edição de 1967 que traz o prólogo de Américo Castro com fotos de Ramón Masats, uma edição em russo com dedicatória de Jorge Amado, uma em português da Aguilar que foi um presente de Manuel Bandeira, uma edição espanhola, sem data, extremamente luxuosa com encadernação artesanal, a edição muito importante, ilustrada por vários artistas, entre eles Sorolla, comemorativa do III Centenário da obra.

 
A Exposição se propõe a exibir publicamente esse patrimônio literário, apontando preciosidades, ilustrações, ilustrador, idiomas exóticos, por meio de aproximadamente 40 objetos (entre livros, miniatura, quadrinhos, desenhos, poemas) especialmente selecionados e levando a reflexão de Dom Quixote sob duas vertentes: (a) a difusão internacional da obra, explorando assim de maneira peculiar as especificidades da própria coleção Cervantina Públio Dias com suas inúmeras publicações em idiomas variados, ilustrações e ilustradores diversos; (b) a recepção de Don Quixote no âmago nacional, descrevendo reflexos e adoções de sua genialidade em diversas frentes e perfis brasileiros, transitando desde as primeiras traduções, até reflexos na pintura, poesia, literatura infantil, literatura de cordel, caricaturas dentre outras.


Além dos objetos físicos expostos, o visitante poderá visualizar ilustrações e navegar pelos livros completos de maneira virtual recorrendo a tablets dispostos estrategicamente.

Certamente, essa exposição deverá ser do interesse de públicos diversos, desde alunos de ensino médio, universitários e pós-graduandos a pesquisadores, professores e profissionais interessados em literatura espanhola, Cervantes e Don Quixote.

Tempo de duração da exposição: 03 meses – 12.dez.2013 a 01.mar.2014

 

SOBRE O LABORATÓRIO DE CONSERVAÇÃO DE OBRAS RARAS E ESPECIAIS

Instalado com apoio da Fapesp, esse Laboratório tem como objetivo a higienização e conservação periódicas das obras raras e especiais da USP, visando a preservação do patrimônio cultural custodiado pelo Departamento Técnico do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP.


Contendo equipamentos nacionais e importados de alta qualidade, controle adequado de temperatura e humidade, além de sofisticado sistema de segurança, inicia suas atividades a partir da coleção Cervantina, colocando-se a seguir à disposição de todas as Unidades da USP.

 

SOBRE O LABORATÓRIO DE DIGITALIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DIGITAL.

Esse Laboratório tem como objetivo a digitalização, tratamento e disponibilização na web; para pesquisadores internos e externos; do conteúdo completo de distintas coleções existentes nas Unidades USP, sejam elas obras raras, especiais ou históricas sobre a USP.


Está equipado com scanners de altíssima resolução como o robôKabis III e o Skyview, ambos produzidos pela Kirtas Technologies, USA e o Scanner Scanback da Rencay, Alemanha.


O primeiro modelo vem equipado com duas câmeras Canon de 21 megapixels, dispostas em x (cada uma virada para uma página do livro), portanto com potencial para digitalização de livros encadernados e obras frágeis. Digitaliza até 2900 páginas por hora, como utiliza duas câmeras, captura duas páginas simultaneamente. Possui viragem das páginas dos livros por braço robótico de vácuo, berço de digitalização especial, com ângulo de 100º e tecnologia SmartCradle, que permite a digitalização do conteúdo sem necessidade de abrir a obra em 180º, preservando seu estado físico ao não forçar a costura.


Já o modelo Skyview, (planetária) é voltado para a digitalização de grandes formatos como mapas, cartazes e jornais mantendo altas resolução e qualidade. Possui apenas uma câmera que se desloca em dois eixos para varrer toda a extensão do material. Cada câmera é ligada num computador que, por sua vez, é ligado a um servidor. As imagens aparecem em tempo real no monitor do scanner. O disparo da câmera pode ser automatizado, impondo-se assim um ritmo constante ao trabalho, ou pode ser por pedal, para uso com obras mais delicadas e conforto ao operador. Possui uma mesa de vácuo para garantir que a página estará sempre sem ondulações e possa gerar uma imagem fiel, contando com ajuste de sucção. Um berço com compensação de altura e lombada, o que permite o uso de um vidro planificador com o mínimo de estresse sobre a costura ou as páginas.


O scanner Scanback modelo Archive, com sensor de 312 MPix, 48bits trilinear, da empresa alemã Rencay, de alta resolução e fidelidade para objetos em diversos tamanhos e formatos, é considerado scanner para área artística, porque cada cor é capturada de forma independente e sem interpolação, cada ponto é capturado "três vezes", produzindo um resultado final extremamente fidedigno à realidade do objeto capturado. Utiliza sensores com o dobro de bits que os profissionais, além de possuir um sensor bem maior do que o das câmeras convencionais com resolução em média 10x maior que o comum das câmeras profissionais.


Desse modo, o Laboratório de Digitalização do SIBiUSP, hoje, possui condições de digitalizar tanto formatos padrão quanto grandes; realiza digitalizações de alta qualidade com alta produtividade, possibilita capturas de real preservação e com qualidade artística considerável, tem condições de operar documentos de dimensões de até 3 metros de largura mantendo-se ainda a alta resolução e fidelidade.


Para tanto, o SIBiUSP iniciou o processo de digitalização da produção USP e do acervo de obras raras e especiais. Somando-se o acervo de teses e revistas publicadas internamente, a USP hoje mantém ainda 169 mil documentos em formato impresso, correspondendo a aproximadamente 39 milhões de páginas de conteúdo a espera de serem digitalizadas e disponibilizadas online. Esse total de páginas, quando digitalizadas, vão gerar 706TB de arquivos TIFF/RAW e 265TB de arquivos em PDF para usuários finais.


Esse cenário, levou o SIBiUSP a implantar uma infraestrutura com capacidade de armazenamento estimada inicialmente em 1,6 Petabytes de dados, visualizando a possibilidade de armazenar, nos diversos campi da Universidade, versões formatadas em padrão PDF/A dos arquivos digitais produzidos (para acesso via web) e manter centralizadas maciçamente no campus central em São Paulo, as versões em RAW ou TIFF dos mesmos conteúdos digitalizados (para preservação e respectivos backups). Para tanto, já se equipou com equipamentos NETAPP, como storages, sistemas de backup, servidores físicos, softwares e licenças, selecionados em total alinhamento e aderência projeto institucional CLOUDUSP.

Maiores informações:
Sistema Integrado de Bibliotecas da USP
atendimento@dt.sibi.usp.br – fone – 3091-1546

http://www.bibliotecas.usp.br/expoquixote/index.html