Notícias

A arte que transforma vidas
29/01/2014

 

As moradoras da região do Jaraguá comemoram a chegada da Escola de Qualificação Profissional do Fundo de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp) no CIC Oeste, inaugurada ontem (28). A escola oferece cursos gratuitos de corte e costura, maquiagem, depilação e design de sobrancelhas, assistente de cabeleireiro, manicure e pedicure para a comunidade.

“Meu filho Marcos já participa da Escolinha de Futebol para crianças aqui no CIC Oeste. Em dezembro, eu soube que estavam abertas as vagas para o curso de cabeleireiro, quando cheguei, já estavam preenchidas. Resolvi, então, fazer o curso de manicure e estou adorando”, diz Alexandra Cardoso, 41 anos. Ela gostou tanto da novidade que trouxe a irmã, Adriana, 39 anos, para participar também.

Cansada da vida de dona de casa, Cristiane Barbosa, 35 anos, resolveu inovar. “Vou fazer o curso de manicure e pedicure. Já avisei as vizinhas que, logo, logo, elas terão uma profissional cuidando dos seus pés e mãos”.

A parceria do Fussesp com a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania tem como objetivo facilitar o acesso da população à formação profissional e ampliar a oferta de vagas da Escola de Qualificação Profissional. Neste ano, novas unidades serão instaladas nos Centros de Integração e Cidadania (CICs) do Estado de São Paulo.

Ao todo, quatro unidades do CIC da capital e da Grande São Paulo (Guarulhos, Jaraguá, Capão Redondo e Ferraz de Vasconcelos) oferecerão cursos gratuitos em breve nas áreas de beleza e moda. As aulas serão dadas nos períodos da manhã e da tarde, possibilitando a formação de duas turmas por curso.

No CIC Oeste, estão matriculados 88 alunos para as primeiras turmas da Escola de Moda e Beleza. O curso terá oito semanas de duração. “Temos uma fila de espera de 170 pessoas para os próximos cursos”, informa Edilaine Daniel, coordenadora do CIC Oeste. Ela ressalta que interessados em futuras turmas devem se dirigir ao posto para incluir o nome na lista de espera. Para participar, o candidato deve ter mais de 18 anos e apresentar RG, CPF e comprovantede residência no ato da inscrição. Não é exigida escolaridade mínima ou experiência prévia nas áreas de moda ou beleza.

No ultimo dia 23, foi inaugurada a unidade da Escola de Qualificação Profissional no CIC Guarulhos. Nas próximas semanas, os postos Feitiço da Vila e Ferraz de Vasconcelos também serão contemplados.

Inserção social – É bastante comum enxergar, nas ruas em torno do Pico do Jaraguá, na bairro do Jaraguá, grupos de mulheres indígenas, rodeadas de filhos pequenos, vendendo artesanato produzido em suas aldeias, que constituem a principal fonte de renda para seu povo. “Longe de sua cultura, eles não têm mais como sobreviver da caça e pesca, e passam por dificuldades no dia a dia. Diante desse fato, resolvemos capacitar as mulheres das tribos Pyau e Ytu na área de corte e costura”, diz Edilaine.

Para a articulação com as tribos, o CIC Oeste contou com o apoio da indigenista Cristina Alves, da Funai. “No ano passado, realizamos um mutirão de cidadania no CIC Oeste e trouxemos os indígenas para tirar a documentação. De lá para cá, conversamos diversas vezes, inclusive com o pajé. Um grupo de dez mulheres está inscrito no curso. Costurar roupas para o coral da aldeia é uma das metas de Márcia, da tribo Ytu. Aos 21 anos, casada e mãe de dois filhos, um de 8 e outro de 5 anos, a jovem ainda arranja tempo para aprender a costurar e tenta, por meio da dança e do canto, resgatar antigas tradições da sua etnia. “O coral é uma maneira de mantermos viva a nossa história”, afirma.

A dificuldade com a língua e com a máquina de costura não assusta Lídia, da tribo Pyau. Mãe de nove filhos e avó de cinco netos, aos 42 anos ela vê uma possibilidade de levar para sua comunidade uma alternativa de renda, além do tradicional artesanato.

Parcerias – As mulheres do Projeto Resgatando Marias, vítimas de violência doméstica, também participam das aulas de moda e beleza oferecidas pelo CIC Oeste. Para a viabilização do projeto foram estabelecidas algumas ações em parceria com órgãos governamentais, instituições do terceiro setor e empresas privadas: Funai, no caso das indígenas, Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho (Sert), que encaminhará as formandas para seleções em empresas que trabalham com o segmento dos cursos (Moda e Beleza) cadastradas no Posto de Apoio ao Trabalhador (PAT) e Sebrae e Diretoria de Ensino Norte 1, que ajudará os alunos inscritos no EJA (Educação de Jovens e Adultos) a serem encaminhados aos cursos da Escola de Qualificação Profissional no CIC Oeste.

Outras novidades são os cursos de Educação para o Consumo e Direitos Básicos (Fundação Procon); Microempresário Individual (Sebrae); Empreendedorismo Individual (Sebrae) e Financiamento do Banco do Povo Paulista (Banco do Povo).

Maria Lúcia Zanelli
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

DOE, Executivo I, 29/01/2014, p. I