Notícias

Pedrinhas barram vinda de superjato para Guarulhos
14/02/2014

 

Meta era que o maior avião de passageiros do mundo, o superjumbo Airbus-A380, operasse já durante a Copa

 

Falta de pavimentação ou cobertura no acostamento traz risco de acidentes, pois turbina suga os detritos

MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

O superjumbo Airbus-A380, maior avião comercial de passageiros do mundo, não poderá operar no Brasil durante a Copa devido a pequenas pedras encontradas no acostamento da pista principal do aeroporto internacional de Guarulhos.

Essa foi a razão para a Anac (agência de aviação civil) reprovar a certificação do A380 na semana passada, conforme relatório de inspeção obtido pela Folha.

O problema é que as turbinas do A380, um superjumbo de dois andares e capacidade para mais de 500 passageiros, sugariam as pedrinhas, o que traria riscos.

A GRU Airport queria iniciar a operação já em maio, com a inauguração do novo terminal de passageiros.

O novo terminal terá seis posições de embarque adaptadas ao A380.

A reprovação de Guarulhos na inspeção da Anac atrapalhou os planos da Air France, que se planejou para operar com o A380 a partir de maio.

A companhia agora estuda o que fazer com os dois jatos --que custam US$ 400 milhões cada um-- alocados para a rota Paris-São Paulo.

"Não é simples redirecionar dois aviões desse porte de uma hora para outra", diz Hugues Heddebault, diretor da Air France no Brasil, sem esconder sua decepção.

"Depois da penúltima inspeção da Anac, achávamos que estávamos muito próximos de uma liberação."

Heddebault destacou, contudo, que a companhia continua interessada em voar para o Brasil com o jato.

"Só queremos ter uma previsão de quando as adequações serão feitas para podemos nos planejar. Se não der na Copa, o ideal será até outubro, para aproveitarmos a alta temporada no Brasil."

Se até lá a certificação não sair, ao menos uma das aeronaves poderá seguir para a Costa do Marfim, na África. "Abidjan tem um aeroporto menor que Guarulhos e lá eles conseguiram fazer as adequações."

Assim como a Air France, a Emirates, transportadora oficial da Copa, também planejava voar com o A380 durante o mundial. O plano era pintar o avião de verde e amarelo e fazer uma grande festa na chegada do primeiro voo.

Para autorizar a operação, a Anac solicitou que o acostamento da pista fosse pavimentado, ou de forma temporária, coberto com grama especial ou betume. Nenhuma das medidas foi tomada.

A GRU Airport informou que trabalha para receber o avião. "É comum que um estudo técnico passe por ajustes até que se consiga a autorização." Pelo contrato de concessão, ela tem até 31 de dezembro de 2016 para adequar o aeroporto.

Folha de S. Paulo