Notícias

São Paulo começa a destruir veículos apreendidos na capital
17/02/2014

 

Ação é pioneira e não agride o meio ambiente. Ao todo, mais de 13 mil veículos serão destruídos

 

São Paulo deu início, nesta segunda-feira, 17, à destruição de veículos apreendidos na capital. Os carros estavam depositados no pátio da Secretaria de Segurança Pública localizado em Santo Amaro e foram apreendidos criminalmente.

Chamada de "compactação", a ação é inédita no país e tem por objetivo descontaminar e destruir veículos. Todos os detritos e resíduos (como baterias, pneus e catalisadores) são recolhidos das carcaças antes do início do processo.

No pátio de Santo Amaro serão compactados [descontamindados e então destruídos] 13.500 veículos, dos quais 62% já estão liberados. "Fizemos um leilão para a empresa que fará a compactação de dessas carcaças, e temos uma licitação aberta para mais 32 mil. [Ao todo], chegaremos a 45 mil veículos", informou o governador Geraldo Alckmin.

A medida é o primeiro passo para resolver um passivo de mais de 25 anos, gerado por entraves judiciais que impediam a liberação desses veículos dos pátios. Em maio do ano passado, a Justiça autorizou que fossem realizados leilões dos 45 mil veículos apreendidos em pátios na cidade de São Paulo, atendendo a um pedido da Secretaria da Segurança Pública.

"Do ponto de vista da segurança, essa ação inibe a ação de receptores, de roubo de cargas e diminui o latrocínio. No que diz respeito ao meio ambiente, também estamos dando um grande passo, porque os fluídos dos veículos serão separados e reaproveitados", declarou o governador. Todo o material removido dos veículos recebe uma destinação conforme as normas ambientais.

Do Portal do Governo do Estado