Notícias

Anvisa proíbe venda e distribuição de produtos para atletas
18/02/2014

 

Segundo a agência, suplementos contêm substâncias inadequadas para esportistas

 

JOHANNA NUBLAT
DE BRASÍLIA

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu ontem a distribuição e a comercialização, no país, de quatro produtos importados para atletas, sob o argumento de que eles contêm substâncias ou teores de substâncias inadequadas para o público alvo.

A agência proibiu a venda de todos os lotes do Alimento para Atletas da marca Isofast-MHP, fabricado pela Maximum Human Performance InC, por apresentar BCAA (aminoácidos de cadeia ramificada, importante fonte energética para os músculos do corpo) e não se enquadrar nas normas.

Suplementos de cafeí- na para atletas da marca Alert 8-hour-MHP, também da Maximum Human Performance InC, foram vetados por conterem taurina, segundo a Anvisa.

Já o produto Carnivor, produzido pela MuscleMeds, foi proibido por conter teores acima do recomendado das vitaminas B12 e B6, e por ter outras três substâncias cuja segurança não foi avaliada pela agência para produtos da categoria de alimentos.

O quarto produto proibido, segundo as resoluções pu- blicadas ontem no "Diário Oficial" da União, é o Probolic-SR-MHP, também fabricado pela Maximum. Neste caso, diz a agência, a proibição é pela presença de CLA (ácido linoleico conjugado) e BCAA.

Patrick Schilte, diretor da Nutrition Import, empresa que distribuiu no Brasil os produtos agora proibidos, explica que o Carnivor já foi adequado e que os novos lotes do produto que chegaram ao porto brasileiro já estão adaptados --e que os poucos lotes restantes serão recolhidos.

Os demais produtos, diz Schilte, também serão adequados. Segundo ele, porém, a empresa recebeu uma autorização prévia da vigilância sanitária para trazer os produtos ao país.

Folha de S. Paulo