Notícias

Governo pode alongar proibição da pesca na Bacia do Paraná
06/03/2014

 

Devido à falta de chuvas, peixes deixaram de subir para desova

 

JOÃO ALBERTO PEDRINI
DE RIBEIRÃO PRETO

Os ministérios da Pesca e do Meio Ambiente devem prorrogar a proibição da pesca nos rios da Bacia do Paraná por, no mínimo, 30 dias.

A decisão deverá sair nos próximos dias, segundo os ministérios. Enquanto isso, nesse período, a pesca volta a ficar liberada nos rios da bacia, após quatro meses de proibição da atividade.

A medida será necessária porque, devido à falta de chuvas no começo deste ano, a piracema, que é o fenômeno dos peixes subirem os rios para a desova, pode ter sido prejudicada por causa da seca.

Uma reunião técnica na última segunda-feira tratou do assunto. Há um entendimento entre os dois órgãos de que existe a necessidade de ampliar o período [da proibição da pesca], afirmou o Ministério da Pesca, em nota.

A discussão ocorreu após o Cepta (Centro de Pesquisa e Treinamento de Aquicultura), do Instituto Chico Mendes, em Pirassununga (SP), pedir a prorrogação da proibição para evitar uma mortandade maior de peixes na bacia. A solicitação foi feita por causa da seca que atingiu os rios da região.

Com os baixos níveis dos rios, os peixes podem ser capturados com mais facilidade, segundo Antonio Fernando Bruni Lucas, coordenador do Cepta na cidade paulista.

Ainda de acordo com os ministérios, a análise técnica deve ser concluída nos próximos dias, sem prejuízos aos pescadores.

Havendo a prorrogação, os pescadores profissionais terão direito a mais uma parcela do seguro defeso criado para assistir financeiramente famílias que vivem exclusivamente da atividade.

A Bacia do Paraná é de grande importância para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste porque, além de servir para abastecer cidades e áreas agrícolas, também serve para o transporte e contribui para a geração de energia, já que abastece a usina hidrelétrica de Itaipu.

Folha de S. Paulo