Notícias

Declaração de IR por celular tem falhas
07/03/2014

 

Apple não liberou o aplicativo para iPad e iPhone, como previsto; Receita culpa empresa, que não comentou

 

Em teste feito pela Folha, bug impediu o uso de programa no Android, do Google, que atribuiu falha à Receita

DE BRASÍLIA DE SÃO PAULO

No primeiro dia de envio das declarações do Imposto de Renda, o aplicativo m-IRPF --que permite ao contribuinte fazer sua declaração em smartphones ou tablets-- não funcionou completamente no sistema Android e ainda não havia sido liberado pela Apple, como estava previsto.

Com isso, ontem não foi possível preencher e enviar a declaração por meio de iPhones ou iPads.

A Receita Federal informou que fez todo o processo para o aplicativo estar no ar e que o atraso é responsabilidade da Apple.

O órgão diz estar "monitorando" a situação, mas não tem previsão de quando será possível fazer a declaração por meio desses dispositivos.

A recomendação da Receita é que o contribuinte entre em contato com a Apple para verificar quando o programa estará disponível.

A Folha pediu uma posição à Apple no começo da tarde de ontem, mas, até a conclusão desta edição, a empresa não havia se manifestado.

ANDROID

O aplicativo estava disponível desde a manhã de ontem também para dispositivos com o sistema operacional Android, do Google.

Mas, em teste feito pela Folha em um tablet, o m-IRPF apresentou problemas.

Quando o contribuinte tentava preencher o campo do título de eleitor, o aplicativo acrescentava automaticamente um zero à esquerda.

Não é possível apagar o algarismo e, ao tentar prosseguir, o usuário recebe uma mensagem de que o número do documento está errado.

Sobre a falha, a empresa divulgou nota dizendo que "oferece a plataforma para a distribuição dos aplicativos, que é a loja Google Play. Questionamentos sobre o funcionamento dos apps devem ser feitos diretamente aos desenvolvedores".

A Receita, responsável pelo desenvolvimento do aplicativo, não comentou.

Uma das vantagens do m-IRPF em relação ao programa para computador é a utilização de apenas um aplicativo para preencher, salvar, recuperar ou transmitir a declaração, simplificando e agilizando o processo.

Neste ano, a Receita ampliou as possibilidades de envio de informações pelos dispositivos móveis, permitindo que sejam declarados dívidas e rendimentos recebidos de pessoas físicas.

Cerca de 90% dos contribuintes esperados para este ano estarão elegíveis a prestar contas com o fisco usando smartphones e tablets.

Em 2013, apenas 20% estavam aptos a usar o aplicativo, cerca de 5 milhões de pessoas. Porém, só 7.000 contribuintes usaram o sistema.

Folha de S. Paulo