Notícias

Após temporal, SP retira 310 toneladas de granizo das ruas
20/05/2014

 

Segundo a prefeitura, até a tarde foram feitas 52 viagens, em 20 caminhões, para despejar o gelo em área na zona norte

 

Pela manhã, cerca de 500 peixes mortos foram retirados do lago do parque da Aclimação pelos funcionários

ARTUR RODRIGUES
DE SÃO PAULO

Crianças de touca atiravam pedras de gelo nos colegas, enquanto outras faziam imitações de bonecos de neve. Houve até quem se arriscasse a praticar snowboard com pedaços de madeira, quase sempre sem grande sucesso.

Após a chuva de granizo de domingo (18), a Aclimação, na região central de São Paulo, teve seu dia de Suíça nesta segunda (19).

O gelo foi tanto que matou peixes do lago do parque do bairro e ficou acumulado pelas ruas mais de 24 horas depois do temporal. A prefeitura havia retirado 310 toneladas até o final da tarde.

"Do nosso prédio, dava para ver os telhados cobertos de gelo. Parecia inverno na Europa", conta o servidor Santiago Morales, 35, que levou o filho de 11 meses para passear na neve de mentirinha.

O filho de 7 anos da administradora Cely Malheiro, 38, aproveitou um pedaço de madeira para escorregar de cima de uma montanha de gelo, formada pelas escavadeiras que retiravam o granizo.

"Já trouxe o meu filho aqui de manhã e agora ele quis voltar com uma amiguinha."

A rua Pedra Azul, que circunda parte do parque da Aclimação, foi a mais atingida. E virou ponto turístico para quem mora no bairro.

"Foi um espetáculo, a gente até que curtiu isso tudo", disse a fisioterapeuta Célia Garcia, 54, que apareceu para tirar fotos no local.

Por volta do meio-dia, quando crianças saíram da escola, a guerra de gelo ficou mais acirrada. Muitos nem mesmo foram para a aula.

Segundo cálculos da prefeitura, à tarde já haviam sido feitas 52 viagens, em 20 caminhões, para despejar o granizo em um terreno na zona norte da cidade.

"Viemos aqui para acabar com a brincadeira das crianças", brincou o subprefeito da Sé, Alcides Amazonas.

Algumas, de fato, imploravam para que as escavadeiras parassem de trabalhar.

Por volta das 19h, os funcionários da prefeitura ainda finalizavam o serviço.

Apesar de toda a brincadeira, moradores se queixaram de não ter conseguido passar de carro por algumas ruas.

MORTE DE PEIXES

Na manhã desta segunda (19), funcionários da prefeitura recolheram cerca de 500 peixes mortos do lago do parque. Biólogos da Secretaria do Verde e Meio Ambiente concluíram que o excesso de granizo deixou os peixes desorientados.

Segundo a pasta, "espécies são sensíveis a mudanças climáticas e o excesso de gelo no lago alterou bruscamente a temperatura da água".

A secretaria diz que os peixes foram levados pela correnteza até o vertedouro --tubulação que joga o excesso de água do lago para galerias pluviais com o objetivo de evitar transbordamento.

Folha de S. Paulo