Notícias

Umidade do ar cai e SP atinge nível de alerta
26/08/2014

 

Na capital paulista, índice nesta segunda-feira foi de 14%; valores abaixo de 12% são considerados de emergência

 

Chegada de frente fria ao Estado nesta terça-feira (26) vai aumentar a umidade, diz meteorologista

DE RIBEIRÃO PRETO

A umidade relativa do ar caiu para níveis de alerta (entre 12% e 20%) na tarde desta segunda-feira (25) em grande parte do Estado de São Paulo, segundo dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Na capital, o índice foi a 14% às 16h na estação do Mirante de Santana, na zona norte. Em Lins (a 431 km de São Paulo), a umidade atingiu 12%.

Índices abaixo desse nível são considerados estado de emergência pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Em Barretos e Pradópolis, na região de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), a umidade do ar chegou a 13% às 15h, mesmo índice registrado em cidades como Itapira, Casa Branca, Valparaíso e Jales.

"Com exceção do litoral paulista, em praticamente todo o Estado a umidade ficou abaixo dos 20%", afirmou Helena Balbino, meteorologista do Inmet.

As cidades que registraram os maiores índices de umidade também ficaram abaixo dos 20%: Bauru e São Carlos (15%), Presidente Prudente (15%) e Avaré (18%).

A meteorologista do Inmet afirmou que a umidade deve subir a partir desta terça-feira (26), quando está prevista a chegada de uma frente fria ao Estado.

Na capital, a umidade do ar deve passar dos 30%. Há possibilidade de chuva fina. As temperaturas devem ficar entre 15°C e 25°C nesta terça, entre 12°C e 20°C na quarta (27), e de 11°C a 18°C na quinta (28).

Em Ribeirão Preto, não há estação do Inmet, mas o Ciiagro (Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas), do governo do Estado, informou que às 15h a umidade chegou a 13,7%.

A Prefeitura de Ribeirão afirmou, em nota, que sempre adota medidas de segurança quando o índice está abaixo dos 20%, como suspender aulas de educação física nas escolas e interromper o serviço dos trabalhadores que atuam na rua e façam algum esforço físico.

CONTRA O CALOR

O pneumologista Pedro Luis Pompeu da Silva disse que as pessoas devem evitar se exercitar ao ar livre.

"É importante usar soro fisiológico para combater o ressecamento do nariz e dos olhos", afirmou Silva.

Outras recomendações são beber ao menos 2 litros de água por dia e evitar banhos longos e quentes, pois eles ressecam a pele.

Folha de S. Paulo