Notícias

Sabesp tem gasto extra de R$ 11 mi com publicidade
27/08/2014

 

Contrato assinado com 3 agências em março deste ano ficou 25% mais caro

 

Aumentos foram para realização de campanha de economia de água durante falta de chuva, diz companhia

HELOISA BRENHA
DE SÃO PAULO
DO "AGORA"

Com o orçamento contido e assumindo custos de ações emergenciais contra a crise hídrica, a Sabesp elevou em quase R$ 11 milhões suas verbas de publicidade, hoje a cargo de três agências.

As empresas Lew Lara, Fischer América e White foram contratadas em março a um valor de R$ 43,75 milhões para prestar serviços publicitários à estatal por seis meses.

Menos de um trimestre depois, uma alteração no contrato foi publicada no "Diário Oficial" para que a Sabesp enviasse um acréscimo de R$ 5,2 milhões às três agências.

Nesta terça (26), um nova alteração foi publicada, destinando mais de R$ 5,7 milhões ao mesmo contrato, que hoje já está 25% mais caro.

"Os aditivos foram para realização de campanha de economia de água neste período de grave falta de chuva", diz a Sabesp, em nota.

Questionada se o dinheiro seria dividido entre as agências, a estatal disse que, a cada nova campanha, como previsto em lei, é feita seleção interna entre as contratadas. A que fez a propaganda para TV mais recente foi a Fischer.

LEI ELEITORAL

Por um mês e meio, porém, a Sabesp não pôde divulgar qualquer peça publicitária no rádio e na TV, prática vetada a empresas do governo no período eleitoral.

Dos 44 dias fora do ar, no entanto, 26 deles foram por causa da demora da própria Sabesp em pedir autorização à Justiça Eleitoral.

O aval só foi pedido em 31 de julho, sendo que o veto às propagandas institucionais começou em 5 de julho.

No último dia 18, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo autorizou a Sabesp a retomar a campanha com base em exceção na lei eleitoral para casos de "grave e urgente necessidade pública".

A liberação ainda atrasou porque a Sabesp fez o pedido sem apresentar cópia do vídeo e da locução que iriam ao ar, o que só fez no dia 16. As datas constam no site de acompanhamento processual do TRE-SP.

A crise da água é usada por adversários para criticar o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição. A assessoria de Alckmin afirmou que o atraso na campanha da Sabesp não tem relação com as eleições.

Folha de S. Paulo