Notícias

Hospital das Clínicas terá 'filial' para ortopedia
02/09/2014

 

Unidade será na Vila Madalena, zona oeste de SP; custo é de pelo menos R$ 67 milhões ao Estado

 

DE SÃO PAULO

O Hospital das Clínicas terá uma nova unidade, voltada a ortopedia e traumatologia, no prédio do antigo Hospital Panamericano, na rua Vitorino de Carvalho, Vila Madalena (zona oeste da SP).

A Secretaria de Estado da Saúde deve gastar pelo menos R$ 67 milhões com o novo hospital --R$ 37 milhões com a desapropriação e R$ 30 milhões com reformas.

A unidade, desativada em 2011 pela operadora de planos de saúde Samcil, fará parte da rede de atendimento a pessoas acidentadas.

O governo não informou quantos leitos o hospital terá ou quando pretende abri-lo.

Para integrantes da Associação de Amigos do Alto de Pinheiros, a unidade pode comprometer o caráter residencial do bairro caso tenha um porte maior do que o antigo Panamericano.

"O hospital não pode crescer mais, pois já está fora do padrão para o local", afirma a presidente da associação, Maria Helena Osório Bueno.

O governo estadual assinou nesta segunda-feira (1º) uma PPP (parceria público-privada) para a construção de outros três hospitais no Estado. O investimento previsto é de R$ 772,2 milhões.

Uma das unidades previstas nessa PPP é o novo Pérola Byington, para a saúde da mulher, com 218 leitos, na avenida Rio Branco, Campos Elíseos (região central).

Os outros serão em Sorocaba (a 99 km de São Paulo), com 250 leitos, e São José dos Campos (a 97 km da capital paulista), com 178 leitos.

PREFEITURA

A Prefeitura de São Paulo também pretende reaproveitar unidades desativadas para implantar novos hospitais.

A Secretaria Municipal de Saúde desapropriou o antigo Hospital Santa Marina, na Vila Santa Catarina (zona sul), por R$ 55 milhões.

O espaço será administrado pelo Hospital Albert Einstein, que ainda deve gastar pelo menos R$ 24 milhões para reformas no local. A previsão é que tenha 260 leitos.

A administração municipal pretende desapropriar o antigo Hospital Vasco da Gama, no Belém (zona leste). A desapropriação deve sair por R$ 17,5 milhões.

Folha de S. Paulo