Notícias

Início do período de chuvas nas represas é o pior em 12 anos
02/12/2014

 

Volume acumulado em outubro e novembro nos principais sistemas da Grande SP representa 55% da média desde 2003

 

Meses de fevereiro e dezembro devem seguir abaixo da média, mas janeiro deve registrar chuvas acima do normal

PEDRO IVO TOMÉ
DE SÃO PAULO

O início da temporada de chuvas nunca foi tão fraco nos seis principais sistemas que abastecem a Grande SP.

O volume acumulado em outubro e novembro deste ano ficou em último lugar na série histórica iniciada em 2003, segundo dados da Sabesp tabulados pela reportagem.

Neste bimestre, as chuvas representaram 55% da média para os seis mananciais, em meio a uma crise de estiagem e de desabastecimento.

Segundo o meteorologista Marcelo Schneider, do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o último outubro foi o mais seco na capital paulista desde 1986, e a região nordeste do Estado teve seu ano mais árido desde 1963. Os registros começam em 1943.

O técnico do instituto afirma que uma massa de ar quente e seca na divisa entre São Paulo e Minas Gerais tem causado o problema.

Ela dificulta a chegada de umidade da Amazônia e a passagem de frentes frias vindas do Sul do país, os principais fatores para a formação de chuva em São Paulo.

Para a meteorologista Bianca Lobo, da Climatempo, a presença dessa massa de ar na região é comum, mas sua intensidade é maior do que historicamente se tem visto.

Segundo ela, uma possível explicação para o fenômeno seria um aumento nas temperaturas das águas no leste do Pacífico, o que mudaria os ventos que levam umidade da Amazônia para o Sul.

Para a Climatempo, porém, a expectativa é de um mês de janeiro mais chuvoso em SP, com volume acima da média.

Em fevereiro e dezembro, porém, espera-se chuvas perto ou abaixo do normal, com temperatura acima da média.

Já o Inmet prevê um verão com chuvas mais próximas da média, sem a forte estiagem como a que ocorreu no verão passado. No Estado, há chance de a chuva ficar um pouco acima do nível normal nos extremos norte e nordeste.

FIM DE SEMANA

Nesta terça-feira (2), a previsão é que a capital paulista passe o dia sem chuvas, situação que deve se alterar na quarta-feira (3), de acordo com a Climatempo, que prevê precipitações até sexta (5).

Para o fim de semana, porém, não há previsão de chuva na capital paulista.

Folha de S. Paulo