Notícias

Boas novas no ar
02/12/2014

 

Os ensaios já estão em andamento em um dos novos laboratórios de emissão veicular da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). O outro, ao lado, está na etapa final da construção. A expectativa do gerente do setor, Vanderlei Rodrigues Ferreira, de vê-los definitivamente em operação, é grande: “Estamos fazendo os testes de ajuste. Com essa estrutura, passaremos a ter condições de homologar internamente veículos movidos a diesel e motocicletas, assim como atuar como referência para os fabricantes”, explica.

Localizados no centro de São Bernardo do Campo (Rua dos Vianas, 625), os laboratórios integram o novo complexo da companhia, composto ainda por uma estação de monitoramento automático do ar, um centro de documentação ambiental e duas agências descentralizadas de controle e licenciamento ambiental, que antes funcionavam em imóveis alugados.

Motores pesados – O laboratório pronto, exclusivo de emissão de veículos a diesel, foi construído e instalado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), mediante acordo firmado entre a Cetesb, o Ministério Público Federal, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Agência Nacional de Petróleo (ANP) e a Anfavea. Numa área útil de 663 metros quadrados, a partir de 2015, realizará ensaios em veículos a diesel leves e motores pesados de até 440kW de potência.

“Já o laboratório de emissão de veículos leves e médios movidos a etanol, gasolina, GNV (Gás Natural Veicular) e diesel, e motocicletas, com área útil de 2 mil metros quadrados, está sendo construído e instalado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A verba veio do Banco Mundial, em razão de licenciamento ambiental do Programa Integrado de Transporte Urbano (ligação Barra Funda-Roosevelt). Suas atividades também estão programadas para ter início em 2015, no segundo semestre.

Como na rua – Os laboratórios de emissão veicular realizam ensaios do funcionamento dos veículos a serem lançados pela indústria. O objetivo é a conferência da homologação dos requisitos legais relativos à emissão de poluentes e ruído. O processo envolve a simulação da atividade do motor numa condição mais próxima possível da real, ou seja, em temperatura, velocidade e variação de potência correspondentes às enfrentadas no movimento em trânsito nas ruas. Isso se dá com a colocação do veículo (ou do motor, no caso de veículos pesados) num dinamômetro, equipamento capacitado a reproduzir essas condições. Dirigido por um operador no ciclo de condução padronizado, o funcionamento do veículo (ou motor) é analisado qualitativa e quantitativamente por um aprimorado sistema de amostragem.

No Brasil, a legislação determina que os ensaios, necessários para a obtenção da Licença para uso da Configuração de Veículo ou Motor (LCVM), sejam realizados com acompanhamento da Cetesb. Segundo o gerente do setor, a construção dos novos laboratórios atende a uma necessidade antiga, pois na sede os equipamentos eram adequados apenas para ensaios de veículos leves de passageiros (motores movidos a gasolina, álcool ou suas misturas e gás natural). “Os ensaios dos veículos com motores a diesel, como os caminhões, e das motocicletas tinham de ser feitos nos laboratórios das montadoras ou no exterior”, informa Ferreira. Ele ressalta que, com as inaugurações, poderão atuar como laboratório de referência para todos os tipos de veículos. “Temos aqui o que há de mais atual em termos de equipamentos”, comemora.

Novo complexo ambiental – A inauguração do chamado Complexo Ambiental da Cetesb foi no dia 14 de novembro. Sua área de 15 mil metros quadrados é maior do que a da sede da empresa, no bairro de Pinheiros, e chegou a ser preparada para receber um centro de detenção provisória (CDP). Depois o Estado doou o terreno para a Cetesb, tornando viável a reunião das unidades num só local. O prédio que seria destinado a servir como área administrativa do CDP, abriga agora as Agências Ambientais do ABC I e do ABC II, que, além de deixarem de gerar despesa de aluguel de R$ 180 mil mensais, passaram a funcionar lado a lado. O Centro de Documentação Ambiental da Cetesb concentrará, no imóvel de 2 mil metros quadrados que está em construção, todos os processos ambientais realizados pela companhia, que devem ser preservados indefinidamente. Uma parte dos cerca de 120 mil processos distribuídos nas 45 agências descentralizadas e em galpões alugados já chegou ao imóvel, construído antes de o terreno ser doado para a Cetesb para abrigar o CDP. A obra de adaptação foi custeada com recursos financeiros advindos de compensação ambiental da construção do Rodoanel Sul.

A estação automática de qualidade do ar é a 52ª a integrar a rede da Cetesb. Adquirida e instalada com recursos da prefeitura de São Bernardo do Campo, está ativa e gera dados em tempo real de poluentes amostrados no centro do município. Durante a inauguração, foram entregues ainda 167 novos veículos para a renovação da frota da companhia, utilizada principalmente em ações de fiscalização e apoio. O investimento na compra foi de R$ 6,6 milhões. Os veículos a serem substituídos, no total de 191, devem ir a leilão público até o fim do ano.

DOE, Executivo II, 02/12/2014, p. IV