Notícias

Alckmin recria pasta para evitar atrasos na conclusão de projetos
16/12/2014

 

Ex-secretário de Segurança Pública Saulo de Castro assumirá estrutura que havia sido extinta em 2002

 

Para compensar nova secretaria, governador anunciou fim da pasta de Gestão, que estava sob influência do PPS

GUSTAVO URIBE
DE SÃO PAULO

Na tentativa de evitar atrasos na conclusão e entrega de obras públicas, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (15) a recriação em seu novo mandato da Secretaria de Governo, que foi extinta em 2002.

A pasta terá como titular o atual secretário da Casa Civil, Saulo de Castro, e terá como principais atribuições acompanhar o ritmo de projetos e obras, monitorar o cronograma de execução e ampliar a capacidade de investimento do governo estadual.

Na disputa eleitoral deste ano, o governador foi criticado por não ter cumprido promessas feitas na campanha eleitoral de 2010, sobretudo a ampliação de trilhos e a entrega de estações de metrô.

"Ninguém é mais interessado do que nós de entregar o máximo possível de obras e no menor prazo possível. Isso é o que também a Secretaria de Governo vai fazer, monitorar todas essas obras", ressaltou o tucano.

Com a recriação da secretaria, a Casa Civil terá como atribuição principal a articulação política, tarefa avaliada por auxiliares e secretários como importante caso o governador decida disputar a sucessão presidencial em 2018.

O nome mais cotado para assumi-la é o do deputado federal Edson Aparecido (PSDB-SP), que ocupou a pasta no atual mandato e coordenou a campanha do tucano à reeleição.

"Nós estamos separando. A Casa Civil ficará com a parte mais institucional e política e a Secretaria de Governo ficará com políticas públicas e ajuste fiscal", disse o tucano, o qual afirmou que será feita uma grande redução de despesas em seu novo mandato, incluindo custeio, pessoal e alugueis.

O governador também anunciou a extinção da Secretaria de Gestão, cujas funções serão assumidas pela Secretaria de Planejamento. O atual titular da pasta, Waldemir Caputo, foi indicado pelo PPS. Com a mudança, a sigla deve ser realocada para outra secretaria no novo mandato.

LINHA DURA

A Secretaria de Governo será divida em duas subsecretarias: de Ações Estratégicas e de Parceria e Inovações. Ela também terá o controle da Unidade de Parceria Público Privada, que faz parte atualmente da Secretaria de Planejamento, e da Corregedoria Geral da Administração.

As agências estaduais Artesp, de transporte, e Arsesp, de saneamento e energia, também ficarão vinculadas a ela. "Talvez a primeira medida seja de restrição do custeio da máquina para que se mantenha o nível de investimento", explicou Castro.

Nome de confiança de Alckmin, Castro é conhecido pelo perfil linha dura e costuma ser elogiado pelo tucano como um "bom tocador de obras".

Sua carreira no governo estadual teve início em 1995, quando atuou como corregedor-geral. Em 2001, assumiu a presidência da Febem, atual Fundação Casa, e, em 2002, comandou a Secretaria de Segurança Pública.

Folha de S. Paulo