Notícias

Temporal derruba hangar de Congonhas
09/01/2015

 

Teto que abriga aeronaves desabou e esmagou jatinho após ventania de 85 km/h e chuva que alagou SP pelo 2º dia seguido

 

Terminal de ônibus fechou, trens foram afetados, 28 árvores caíram e ao menos 113 semáforos apagaram

DE SÃO PAULO

O temporal que atingiu a capital paulista pelo segundo dia seguido alagou vias do centro, comprometeu a circulação de ônibus e trens e levou até ao desabamento do teto de um hangar de jatos executivos no aeroporto de Congonhas (zona sul) na noite desta quinta-feira (8).

Os ventos de 85 km/h derrubaram a estrutura da área que abriga pequenas aeronaves --e pelo menos um jato acabou sendo esmagado.

Houve 28 quedas de árvores pela cidade --uma delas bloqueava a passagem de carros em uma quadra da rua Oscar Freire, nos Jardins, onde um apagão ainda deixou os restaurantes atendendo os clientes a luz de velas.

No dia anterior, a chuva forte já havia alagado principalmente a zona leste.

Ontem, os danos foram significativos no centro, onde também choveu granizo. O terminal de ônibus Bandeira ficou ilhado --e teve que fechar durante 40 minutos.

Na linha 10-turquesa da CPTM, um raio caiu na rede aérea de energia e interrompeu a passagem de trens em uma das vias entre as estações Brás e Tamanduateí.

O temporal começou por volta das 18h e, três horas depois, havia 113 semáforos com problemas, sendo 87 em manutenção e 26 por falta de energia, de acordo com a CET.

DESABAMENTO

Embora a ventania não tivesse a proporção da tempestade do último dia 29 --com ventos de 96 km/h que derrubaram centenas de árvores--, os danos assustaram quem estava em Congonhas.

O acidente no hangar da Target aconteceu às 19h. A Infraero (estatal que administra aeroportos) informou que não houve vítimas, mas não soube detalhar quantos jatinhos foram danificados.

O hangar de aviação executiva da TAM, vizinho ao da Target, teve leves danos, de acordo com a empresa.

O aeroporto chegou a fechar --entre 18h33 e 18h55-- devido ao temporal, mas funcionava normalmente até a conclusão desta edição.

A chuva atingiu parte do sistema Cantareira, mas com intensidade fraca. Ele se manteve estável na medição da manhã, com 6,8% da capacidade, na piora crise de sua história. A previsão é que haja pancadas de chuva na tarde e noite desta sexta (9).

Folha de S. Paulo