Notícias

Com seca em SP, governo já teme falta de hortaliças
06/02/2015

 

Ministério da Agricultura mapeia possíveis problemas de abastecimento

 

Seca em São Paulo afetará também outras regiões dependentes dos produtos vendidos na capital paulista

AGUIRRE TALENTO
DE BRASÍLIA

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou que há preocupação com a produção de verduras e legumes em São Paulo, devido à seca no Sudeste, que pode prejudicar o abastecimento desses alimentos no país.

O Ministério da Agricultura está finalizando um estudo para avaliar os impactos da seca na produção agrícola e tentar criar alternativas para evitar o desabastecimento. Segundo a ministra, não deve haver impactos na produção de grãos.

"Estamos levantando todo o estoque de alimentos da Conab, a previsão de chuva dos próximos três meses e vamos entregar para a presidente [Dilma], até o fim desta semana, um mapa geral antecipado do que poderá faltar nos próximos meses, inclusive pensando no abastecimento e na inflação", afirmou.

Para ela, uma das alternativas seria suprir as perdas em São Paulo por outras regiões que poderiam ser estimuladas, como os perímetros de irrigação no Nordeste.

CEAGESP

A seca em São Paulo afetará não só os paulistanos, mas também outras regiões dependentes dos produtos negociados na capital paulista.

Pelo menos 50% dos produtos comercializados na Ceagesp são de produtores paulistas. Já 100% das verduras vendidas no entreposto são produzidas em regiões próximas a São Paulo.

A seca, mais uma eventual restrição na utilização, vai reduzir a oferta desses produtos não só para os paulistanos como para os consumidores de outras regiões.

Quanto aos estoques de grãos, o volume atual de arroz e feijão é suficiente para um mês de consumo.

Folha de S. Paulo