Notícias

Corrente de leitura nas estações da CPTM
24/03/2015

 

Se Ler é sonhar pela mão de outrem, como escreveu Fernando Pessoa,
quem esteve nas estações Jardim Romano, Mogi das Cruzes e Estudantes,
da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), pôde
entrar nesse mundo dos sonhos e escolher o livro que mais lhe agradasse.
No sábado (dia 21), das 10 às 13 horas, foram distribuídos 500
exemplares. As mãos que guiaram o leitor no universo onírico foram
muitas: brasileiras e estrangeiras, clássicas e best-sellers.

Machado era de Assis. A Rosa mdo Guimarães. A Bandeira do Ma -
nuel. Mas o feliz mesmo era o Jorge que era Amado, jogo de frases de
autoria desconhecida que incluem parte significativa dos representantes
brasileiros presentes na lista das obras que estavam disponíveis

ao público. Entre os internacionais, figuravam os nomes de William Shakespeare,
Honoré de Balzac, Jean-Baptiste Poqueli (conhecido artisticamente como Molière),
Gabriel García Márquez e Agatha Christie. Além de literatura, havia obras didáticas,
religiosas e de autoajuda. O sonhador infantil teve lugar cativo, como de costume
— o que ocorre desde 2006, quando a CPTM, vinculada à Secretaria de Transportes
Metropolitanos, começou a distribuição. A procura é sempre grande pelos livros infantis,
informa Juliana Milena Rainha de Carvalho, coordenadora das ações do projeto
Livro Livre. O pequeno príncipe e Poliana são dois títulos que compuseram a entrega
extra que veio “para intensificar as ações de incentivo à leitura e tornar perene a distribuição”,
destaca Juliana.

Parceiros – A maior distribuição do programa ocorre em 29 de outubro,
quando se comemora o Dia Nacional do Livro. No ano passado, participaram 13
estações com intervenções lúdicas e culturais e encontros com escritores e editores
convidados pela CPTM. A principal característica da coletânea é a diversidade literária,
comenta a coordenadora. Isso ocorre porque os exemplares vêm de doações
do cidadão, principalmente dos passageiros de trem e dos parceiros Adote um livro
e transforme-se e Lions Clube Mogi das Cruzes Itapety.

O projeto Adote um livro fez a entrega na estação Jardim Romano e costuma dar
preferência às paradas “de ponta de linhas” da CPTM – local de maior vulnerabilidade
social. O Lions Clube escolheu as estações Mogi das Cruzes e Estudantes para as campanhas
de incentivo à leitura.

Ler e passar – Ao longo das dez edições do programa foram distribuídos 130
mil exemplares que partiram de boa parte das estações e continuam a viajar pelas
mãos de leitores, estantes das bibliotecas da CPTM, bancos, trens, plataformas e praças
públicas. “O objetivo é que os livros circulem. Muitos ainda procuram os funcionários
para devolvê-los. Há outros que entendem a proposta e, após levar o primeiro
para casa, retornam com outros para doação” ressalta Juliana ressalta Juliana.

As doações promovidas pela CPTM seguem o conceito do bookcrossing, que
incentiva o ato de ler e repassar o livro para outro leitor, presente em 130 países e com
600 mil participantes. Para continuar essa corrente de leitura, é só libertar os livros das
prateleiras, que ficam acumulando poeira. É possível fazer doação nas estações da CPTM,
durante o ano todo. “No dia da distribuição, os livros ‘voam’ da estante para as mãos dos
leitores”, comenta Juliana.

DOE, Executivo II, 24/03/2015, p. II