Notícias

Internação por acidente de moto cresce 115%
21/05/2015

 

Elevação foi registrada no período de seis anos, até 2013; custo no SUS com esse tipo de atendimento subiu 171%

 

Explosão da frota é principal explicação; governo federal estuda medidas contra disparada de casos

NATÁLIA CANCIAN
DE BRASÍLIA

O número de internações hospitalares após acidentes com motos cresceu 115% nos últimos seis anos. Ele já representa metade do total de internações por acidente de trânsito no país, segundo dados do Ministério da Saúde.

Em 2013, de 171 mil internações causadas pela violência no trânsito, em torno de 89 mil ocorreram após acidentes com motocicletas.

A principal explicação para esse cenário é a própria explosão dessa frota, que cresceu 241,7% em dez anos no Brasil --no Norte e no Nordeste, as motos já são quase metade do total de veículos.

O quadro é motivo de alerta no governo federal, que passou a estudar uma série de medidas para contê-lo.

Entre os pontos em análise estão um rigor maior nas fiscalizações, especialmente um "jogo duro na Lei Seca", e possíveis mudanças na legislação, como a obrigatoriedade de apresentar habilitação específica na hora de comprar uma moto.

A meta é também diminuir os gastos federais na saúde: em seis anos, houve aumento de 171% no custo com internações no SUS por acidentes com motocicletas.

Só em 2013, foram gastos R$ 231 milhões com internações causadas pelo trânsito.

O ministro Arthur Chioro (Saúde) disse que os impactos podem ser ainda maiores se somados os gastos em saúde privada, previdência, afastamento do trabalho e outros.

"Há estudos que mostram que no Brasil bate em R$ 28 bilhões por ano o que perdemos com acidentes de trânsito", afirmou Chioro.

ÁLCOOL

De acordo com dados da Vigitel, pesquisa do ministério que monitora fatores de risco à saúde, 1/4 dos adultos admite dirigir sob efeito de álcool.

Números preliminares de outro mapeamento, de 2013, os últimos disponíveis, apontam que houve 12.040 mortes de motociclistas no Brasil. Em 2012, foram 12.544, segundo os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade.

As estatísticas do último ano, no entanto, ainda devem crescer conforme forem contabilizadas. Em dez anos houve um crescimento de 179% --em 2003, eram 4.292 mortes. Já a quantidade total de mortes por acidentes de trânsito em geral cresceu 46% --foram 42 mil mortes em 2013.

O número de motociclistas mortos em acidentes na capital paulista chegou a subir quase 50% entre 2005 e 2011, sofreu leve queda durante dois anos, mas voltou a aumentar (9%) no ano passado.

Folha de S. Paulo