Notícias

Em meio a crise, Santa Casa elege novo gestor
09/06/2015

 

Acionista do Itaú, José Luiz Setúbal é candidato único e deve ser eleito

 

Ex-provedor Kalil Rocha Abdalla, cuja gestão é investigada pela Procuradoria, renunciou em abril

JAIRO MARQUES
DE SÃO PAULO

Os irmãos mantenedores da Santa Casa de São Paulo, maior complexo hospitalar filantrópico da América Latina, devem alçar nesta terça (9) o médico José Luiz Setúbal, 58, da família fundadora do banco Itaú, ao cargo de provedor (espécie de presidente) do hospital para os próximos dois anos.

Conforme condição imposta por Setúbal para assumir o cargo, ele será candidato único e recebeu sinalização de que há consenso em torno de seu nome para a provedoria da instituição --que passa pela pior crise financeira de sua história, com dívidas de cerca de R$ 800 milhões.

Em 2013, com 45% dos votos, o acionista do Itaú perdeu a disputa para Kalil Rocha Abdalla, que renunciou em abril e cuja gestão é investigada pela Promotoria. Cerca de 500 irmãos (beneméritos) estão credenciados para votar. Não há prazo para divulgação oficial do resultado.

Em entrevista à Folha em maio, Setúbal, que é médico pediatra, defendeu medidas como a diminuição do quadro de funcionários e um redesenho da abrangência dos serviços do hospital. Ele pretende também renegociar prazos para o pagamento de dívidas.

Em julho de 2014, a instituição chegou a fechar o pronto-socorro por 28 horas. À época, o hospital alegou falta de recursos para comprar medicamentos e materiais como seringas e agulhas.

Se confirmado como provedor, Setúbal irá assumir imediatamente o cargo que está atualmente com Ruy Martins Altenfelder Silva.

Há duas semanas, funcionários do hospital que encabeçam o movimento "Santa Casa Viva" organizaram um ato em apoio a Setúbal. Eles dizem que, sem medidas drásticas, a instituição poderá fechar as portas em seis meses.

Folha de S. Paulo