Notícias

Empresas aéreas querem padrão mundial para bagagem de mão
10/6/2015

 

RICARDO GALLO
ENVIADO ESPECIAL A MIAMI

As companhias aéreas querem estabelecer um novo padrão de bagagem de mão em todo o mundo, de modo a reduzir os transtornos causados nos voos por malas de tamanhos diferentes.

O anúncio foi feito nesta terça (9) na assembleia anual da Iata (associação internacional de transporte aéreo) em Miami (EUA). A entidade representa 260 companhias aéreas do mundo, entre elas as quatro maiores do Brasil --TAM, Gol, Azul e Avianca.

Em conjunto com as fabricantes de avião Boeing e Airbus, a Iata definiu que o novo padrão será uma bagagem cujas dimensões somam 110 cm (55 cm x 35 cm x 20 cm).

O tamanho é suficiente para caber tanto no compartimento superior como sob a poltrona da frente dos aviões mais populares do mundo.

Foi criado ainda o selo "Iata Cabin OK", que indica que a bagagem está dentro dos limites definidos. Hoje, cada companhia adota um padrão. No Brasil, a dimensão (115 cm) e o peso (5 kg) são definidos pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

"Essa iniciativa ajudará a resolver alguns dos desafios que as equipes de terra e os comissários de bordo têm enfrentado", disse Tony Tyler, presidente da Iata.

A discussão ainda é inicial, mas a intenção é adotar o padrão nos próximos cinco anos para aviões com mais de 120 passageiros. Isso não significa que um passageiro será barrado por carregar malas maiores --a intenção é melhorar a situação atual, desregulada.

O próximo passo é articular a fabricação das malas no novo padrão com quem as produz --uma empresa já trabalha com a Iata na certificação de futuros fabricantes.

O repórter RICARDO GALLO viajou a convite da Iata.

Folha de S. Paulo