Notícias

Osesp promove minifestival com Nielsen, Strauss e Ravel
18/06/2015

 

Para diretor artístico Arthur Nestrovski, récitas são oportunidades para entender contrastes e semelhanças entre compositores

 

GISLAINE GUTIERRE
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Carl Nielsen (1865-1931) é um dos mais prestigiados compositores da Dinamarca. Mas se por lá seu sucesso é garantido, em muitos países é aos poucos que ele vai ganhando reconhecimento.

A Osesp dá vez ao dinamarquês em um minifestival com sete récitas e dois programas diferentes, que começa nesta quinta (18). Nielsen estará ao lado do alemão Richard Strauss (1864-1949) e do francês Maurice Ravel (1875-1937).

"Os três estão entre os nomes mais importantes do século 20, mas raramente são ouvidos assim, um ao lado do outro", diz o diretor artístico da Osesp, Arthur Nestrovski. "É uma oportunidade para entender melhor os contrastes e semelhanças entre eles."

Nielsen já foi classificado pelo autor do livro "O Resto É Ruído", Alex Ross, como o compositor mais subestimado do século 20. "O hábito do compositor de escrever notas furiosamente rápidas, e depois passá-las de uma seção para outra, em estilo de revezamento, pode fazer até mesmo um conjunto de virtuoses soar confuso", escreve Ross.

Para o dinamarquês Thomas Dausgaard, que regerá a Osesp, algumas peças são desafiadoras, mas isso "faz parte da expressão" do autor. "Os músicos ficam encantados e surpresos com a qualidade das obras", diz.

No primeiro programa estarão "As Travessuras de Till Eulenspiegel", de Strauss, o "Concerto para Piano em Sol Maior", de Ravel, e a "Sinfonia nº 4, Op.29 - A Inextinguível", de Nielsen.

No segundo programa estarão a "Abertura Helios, Op.17", de Nielsen, "Valsas Nobres e Sentimentais", de Ravel, e "Salomé, Op.54: Parte 2", de Strauss, com participação dos cantores Gun-Brit Barkmin, Denise de Freitas e Stig Andersen.

Para Dausgaard, Nielsen mostra um olhar esperançoso. Um exemplo está na "Sinfonia nº 4". "No fim, uma apoteose abafa o duelo de tímpanos que lembra a guerra."

"Mesmo quando estamos em lugares difíceis, temos recursos para encontrar a luz", diz Dausgaard, lembrando a "Abertura Helios" inspirada no nascer e no pôr-do-sol.

MINIFESTIVAL NIELSEN-STRAUSS-RAVEL

QUANDO qui. (18 e 25), sex. (19 e 26), às 21h, sáb. (20 e 27), às 16h30; dom. (21, na Virada Cultural), às 11h
ONDE Sala São Paulo, praça Júlio Prestes, 16; tel. (11) 3223-3966
QUANTO grátis (dia 21; ingressos uma hora antes), de R$ 19,50 a R$ 89 (sex.), de R$ 39 a R$ 178 (qui. e sáb.)
CLASSIFICAÇÃO 7 anos

Folha de S. Paulo