Notícias

Alckmin vai conceder linha 5 do metrô à iniciativa privada
22/07/2015

 

Empresa vai assumir tanto ligação que já existe na zona sul de SP como futura extensão; hoje só uma linha tem operação privada

 

ADRIANO QUEIROZ
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta terça (21) que vai conceder à iniciativa privada a linha 5-lilás do metrô de SP.

A ligação tem atualmente 9,3 km de extensão (entre as estações Capão Redondo e Adolfo Pinheiro, na zona sul), mas está em fase de expansão.

Até 2018, deve ganhar mais 11,5 km, com dez novas estações, terminando na estação Chácara Klabin, em interligação com a linha 2-verde.

A concessão anunciada por Alckmin refere-se apenas à operação da linha 5, e não às obras de ampliação que estão em curso.

Atualmente, só uma das cinco linhas do metrô paulista tem operação privada: a 4-amarela, que liga a Luz, no centro, ao Butantã (oeste). As demais são administradas pela própria estatal.

A futura linha 6-laranja do metrô, entre a Brasilândia (zona norte) e a estação São Joaquim (centro), está sendo feita em regime de PPP (Parceria Público Privada).

Alckmin disse que a iniciativa privada vai operar toda a linha 5, incluindo a parte já em funcionamento. "Quem vencer vai operar de Capão Redondo até Chácara Klabin."

Para o governador, "a medida vai preservar e gerar muito emprego, além de melhorar a logística de São Paulo e reduzir o custo Brasil."

O Metrô não deu detalhes. Disse que "as definições sobre a concessão de operação e manutenção serão resultado de estudo de modelagem financeira e jurídica que foi recém-iniciado".

Segundo a empresa, só após a conclusão desse levantamento será possível saber, por exemplo, um cronograma.

METROVIÁRIOS

A iniciativa do governo de conceder a linha 5 à iniciativa privada enfrenta oposição do sindicato dos metroviários.

"Evidentemente, estamos vendo isso com muita preocupação. Vamos tentar resistir a mais esse ataque do governador, que quer a privatização do Metrô com essas concessões", afirmou Alex Fernandes, secretário-geral do sindicato dos metroviários, que vai se mobilizar para tentar barrar a medida.

EXPANSÃO

Alckmin disse que o investimento na expansão da linha 5 é de R$ 9,1 bilhões. A previsão, segundo o governador, é que a última estação fique pronta em 2018.

Folha de S. Paulo