Notícias

Ciclovia da Consolação terá obras iniciadas neste mês
10/8/2015

 

Para acomodar nova rota, faixas para automóveis terão a largura reduzida

 

Segundo secretário de Transportes, objetivo da prefeitura é fazer conexões entre circuitos já existentes

ANDRÉ MONTEIRO
DE SÃO PAULO

A Prefeitura de São Paulo vai começar ainda neste mês a implantar uma ciclovia na rua da Consolação, na região central de São Paulo.

De acordo com o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, a pista de bicicletas será feita nos dois sentidos da via, junto à calçada, e vai ligar a região dos Jardins à Biblioteca Municipal Mário de Andrade, no centro.

Inicialmente, a gestão Fernando Haddad (PT) planejava fazer a ciclovia no canteiro central, mas desistiu.

As faixas da Consolação terão a largura reduzida para acomodar as pistas de bicicletas que serão pintadas de cada lado –a via tem três faixas de tráfego geral e uma exclusiva de ônibus nos dois sentidos.

Tatto não deu prazo para entregar a ciclovia. Disse que a implantação é simples, mas que provavelmente a rua será recapeada antes.

A nova pista terá conexões com a ciclovia feita na avenida Paulista e nas vias sob o Minhocão, inaugurada neste domingo (9).

Segundo Tatto, ciclovias no canteiro central serão implantadas em trechos das avenidas Pacaembu e Domingos de Morais. Nos próximos meses também deve ser feita uma pista ligando a Paulista ao parque Ibirapuera, passando pela rua Abílio Soares.

"Nossa preocupação agora é fazer as conexões que estão faltando, isso precisa ser feito para ampliar a ideia de rede", afirmou.

O secretário disse ainda que a prefeitura vai "investir pesado também na periferia".

MINHOCÃO

A ciclovia feita embaixo do Minhocão tem 4,1 km e liga a praça Roosevelt à Barra Funda. Passa pela rua Amaral Gurgel e pelas avenidas São João, General Olímpio da Silveira e Auro de Moura Andrade e fica boa parte do percurso no canteiro central.

O canteiro foi alargado em alguns pontos para acomodar os dois sentidos da ciclovia e os pontos de ônibus do corredor que já existia ali.

A iluminação também foi reformada e ganhou luminárias de LED. Segundo a prefeitura, a obra, iniciada em janeiro e prometida para junho, custou R$ 7,7 milhões.

Com ela, a gestão Haddad entregou 293 km de ciclovias. A meta do prefeito é chegar a 400 km até o ano que vem.

Ciclistas elogiaram. "Agora dá pra andar sem medo. Antes eu pedalava aqui e os carros e ônibus passavam tirando fina", disse o zelador Severino Tavares, 36.

Pedestres também aprovaram, mas há críticas. "Para quem mora aqui é legal, mas eu moro longe e só ando de ônibus, então não adianta. Acho que vai atrapalhar o passageiro, nos dias de semana os pontos ficam lotados e não vai caber todo mundo", afirmou Manoel Pereira, 47.

Haddad disse que o uso da nova ciclovia será acompanhado por técnicos da prefeitura, e que poderão ser feitas readequações no projeto se houver necessidade.

Folha de S. Paulo