Notícias

Após trapalhada, CET vai cancelar multas em avenidas
12/08/2015

 

Prefeitura baixou limites na Brás Leme e Sena Madureira, mas errou sinalização

 

Secretário de Haddad diz que vias com nova velocidade terão aviso 3 dias antes de mudança; prazo é alvo de críticas

LEANDRO MACHADO
DE SÃO PAULO

A administração Fernando Haddad (PT) vai cancelar multas de motoristas que passaram acima do novo limite de velocidade em duas avenidas da cidade de São Paulo.

A decisão foi tomada após a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) alterar a velocidade permitida nas vias e errar na sinalização.

Motoristas que foram multados, desde sábado (8), por circular entre 50 km/h e 60 km/h na avenida Brás Leme (zona norte) e na rua Sena Madureira (zona sul) terão as autuações canceladas.

As duas vias tiveram a velocidade máxima reduzida para 50 km/h. Na Sena Madureira, a mudança ocorreu no sábado. Na Brás Leme, na madrugada desta terça-feira (11). A multa só será mantida para os motoristas que passaram nas vias em velocidades acima de 60 km/h.

"A CET fez no piloto automático. Vamos cancelar todas as multas nessas vias desde sábado", disse Jilmar Tatto, secretário de Transportes, ao admitir que a forma como houve essa mudança pode confundir os motoristas.

Na Sena Madureira, havia placas tanto de 50 km/h como de 60 km/h espalhadas pela via ainda nesta terça, três dias depois da alteração.

Já na Brás Leme não houve aviso prévio informando a redução, segundo Tatto.

DIVULGAÇÃO

Haddad já anunciou que, até dezembro, pretende padronizar em 50 km/h a velocidade em todas as vias arteriais da cidade –avenidas que ligam diferentes regiões da cidade, têm semáforos e fluxo intenso de veículos. A justificativa é reduzir as vítimas de acidentes de trânsito.

Segundo Tatto, haverá uma campanha de divulgação três dias antes da redução em cada via. "Vamos mandar comunicados para a imprensa e colocar faixas nas vias [para informar a medida]."

Esse prazo para alertar os motoristas, porém, é considerado insuficiente inclusive por defensores da redução dos limites de velocidade.

Para Eduardo Biavati, especialista em educação no trânsito, campanhas do tipo precisam ser feitas com 7 a 15 dias de antecedência.

"Sinto falta de uma comunicação melhor, inclusive quando baixou a velocidade das marginais. A prefeitura precisa mostrar para as pessoas que elas só ganham [com a redução], não perdem. Três dias é pouco, parece pegadinha", diz Biavati, que é a favor da padronização da velocidade em 50 km/h.

O prazo para avisar os motoristas também é criticado por Mauricio Januzzi, presidente do comitê de trânsito da OAB-SP, que foi à Justiça contra a redução de velocidade nas marginais. "Não é ideal para as pessoas se acostumarem. O ideal seria um mês, para que haja uma política de educação de trânsito, com folhetos e faixas."

Folha de S. Paulo