Notícias

Marginais de SP terão 22 novos radares
14/08/2015

 

Após reduzir limite de velocidade, gestão Haddad decide ampliar fiscalização nas pistas da Tietê e da Pinheiros

 

Especialista aprova iniciativa, mas afirma que prefeitura tem tomado decisões de forma 'atabalhoada'

ANDRÉ MONTEIRO
EDUARDO GERAQUE
DE SÃO PAULO

A gestão Fernando Haddad (PT) decidiu instalar mais 22 radares fixos nas marginais Pinheiros e Tietê –que já contam hoje com 65 aparelhos.

O aperto na fiscalização, previsto para os próximos meses, foi definido após a polêmica redução dos limites de velocidade nas marginais.

Ele consta de um pacote de mudanças nessas vias sugeridas pelo mesmo grupo de técnicos da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) que convenceu Haddad a rebaixar a velocidade na Tietê e na Pinheiros desde julho.

Com a justificativa de aumentar a segurança viária nas marginais, essa equipe preparou um relatório que sugere ainda a proibição de motos na pista expressa da Pinheiros, a instalação de defensas metálicas (guard-rails) e a pintura de faixas de pedestre nas alças das pontes.

Segundo a gestão Haddad, a decisão já foi tomada em relação ao aumento de radares e das faixas de pedestres. As demais propostas do grupo (que, dentro da CET, cuida especificamente das marginais) estão sob análise.

As pistas da Tietê e da Pinheiros formam as vias com mais acidentes fatais, em termos absolutos, na cidade. Em 2014, elas contabilizaram 73 mortes e 1.399 feridos.

Embora as iniciativas para reduzir as vítimas tenham aprovação majoritária de especialistas, há críticas principalmente à forma como elas estão sendo implantadas.

Quando houve a redução da velocidade nas marginais (para 70 km/h na expressa, 60 km/h na central e 50 km/h na local), a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) foi à Justiça contra a medida alegando que não houve amplo debate.

Em outras vias (Brás Leme e Sena Madureira), a gestão Haddad decidiu cancelar multas após admitir que a redução dos limites havia sido feita sem aviso prévio ou mantendo placas divergentes, que confundiam motoristas.

"A receita é boa, a maneira como estão fazendo é que tem sido um pouco atabalhoada. A prefeitura precisa comunicar bem e com antecedência", afirma Luiz Célio Bottura, engenheiro de tráfego e ex-ombudsman da CET na gestão Gilberto Kassab (PSD). "Se não explicar bem, será criticado. Se fizer gol, vão falar que foi com a mão."

O engenheiro e consultor Luis Fernando Di Pierro considera que, apesar de impopular, a instalação de mais radares ao longo das vias também é importante para melhorar a segurança.

"O recomendável também é monitorar a via, de forma presencial e por vídeo. Assim como um telefone de emergência específico para cada marginal", diz Di Piero, para quem isso ajudaria a evitar presença de pedestres nas marginais e a reduzir roubos.

O relatório técnico do grupo da CET propõe a instalação de 16 faixas de pedestre e 22 lombofaixas (lombadas com faixas em cima) nas alças das pontes da marginal Tietê e 16 faixas nas alças da Pinheiros. A empresa diz que os dispositivos estão em implantação.

Outra sugestão é a instalação de 84 km de guard-rail nos dois lados das pistas, para amenizar batidas e dificultar os acessos de pedestres.

Folha de S. Paulo