Notícias

Paulista deve fechar para carros aos domingos; comércio reage
19/08/2015

 

Medida ainda não passou por 2º teste, mas prefeito Haddad (PT) já disse que fechamento é provável

 

Prefeitura afirma que estudo indica pequeno impacto no trânsito, mas empresários locais reclamam de prejuízos

ARTUR RODRIGUES
LEANDRO MACHADO
DE SÃO PAULO

A avenida Paulista, na região central de SP, deverá ser fechada aos veículos todos os domingos para se transformar em um espaço de lazer de pedestres e ciclistas. O anúncio já provocou forte reação de comerciantes locais.

Um primeiro teste do fechamento ocorreu em junho, quando foi inaugurada uma ciclovia na avenida.

Antes decidir se a medida seria definitiva, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) havia pedido um segundo teste à prefeitura, que vai ocorrer neste domingo (23).

O prefeito Fernando Haddad (PT), porém, adiantou que a mudança é quase certa e já deverá ocorrer na semana seguinte ao teste. "É provável [o fechamento definitivo no dia 30]. A decisão é da CET", disse o petista nesta terça (18).

Para Vilma Peramezza, presidente da Associação Paulista Viva, o fechamento é uma ação de "marketing" da prefeitura e deve prejudicar estabelecimentos comerciais (leia texto na pág. B3).

No primeiro teste, quando milhares de pessoas passaram pela avenida, estudos da CET não apontaram graves prejuízos ao trânsito de carros e do transporte público, desviado para ruas paralelas.

"O primeiro teste foi ótimo, foi benéfico para a cidade. A CET conversou com hospitais, clubes e condomínios. A avaliação mostrou que a iniciativa é desejável e possível", disse o prefeito.

No próximo domingo, a via será fechada para a inauguração da ciclovia da avenida Bernardino de Campos, que ligará a Paulista e a rua Vergueiro, no Paraíso (zona sul).

No mesmo dia, dois mirantes, cedidos a empresários, serão inaugurados na região. Os espaços terão restaurantes, cafés e bicicletário.

"Se tudo funcionar como previsto, a decisão será tomada no sentido de abrir para a população", disse Haddad.

Na sexta (21), a prefeitura vai anunciar uma série de regras que orientarão o tráfego na região aos domingos, como permissão para que moradores entrem com carros e facilidade de acesso a hospitais.

MARCA BARATA

Com problemas financeiros e dificuldades para cumprir promessas, Haddad, que é pré-candidato à reeleição no ano que vem, investe em marcas baratas de governo, nas áreas de mobilidade e de ocupação do espaço público.

Após as faixas de ônibus e as ciclovias, agora aposta no fechamento de vias para lazer, tendo a Paulista como destaque principal. O Minhocão, aberto para pedestres aos domingos, também virou espaço de lazer aos sábados.

Adversários políticos dizem que, com estratégia, o petista tenta criar uma cortina de fumaça para desviar a atenção de temas como falta de creches e problemas na saúde.

Pré-candidato à prefeitura pelo PSDB, o vereador Andrea Matarazzo afirma que a região da Paulista já tem vários espaços de lazer, como o Parque Trianon e o Ibirapuera.

"Mais importante é discutir se fecha ou não fecha a avenida Águia de Haia [periferia da zona leste], onde não tem verde, não tem lazer."

Em recente entrevista à Folha, Haddad disse que outros locais terão vias fechadas para carros, nos moldes da Paulista. Um dos locais estudados é a avenida conhecida como Tiquatira, na zona leste.

Folha de S. Paulo