Notícias

Multas de agentes da CET e PMs crescem mais que as de radar
26/08/2015

 

No 1º semestre, infrações de trânsito anotadas por marronzinhos saltaram 28% e por policiais, 35%

 

Autuações de radares subiram 18%; gestão Haddad diz expandir atuação de agentes e apertar fiscalização

(LEDA ANTUNES E ALINE MAZZO)
DO "AGORA"

O número de multas aplicadas por agentes de trânsito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e por policiais militares disparou nos primeiros seis meses deste ano na cidade de São Paulo.

Os PMs multaram 35% a mais no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2014. No caso dos marronzinhos, a alta foi de 28%.

Nos dois casos, trata-se de crescimento superior ao das multas aplicadas por radares –que subiram 18% neste ano.

Esses dados foram obtidos pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação.

No total, foram 581 mil multas de policiais militares e 956 mil de marronzinhos no primeiro semestre deste ano.

A CET, ligada à gestão Fernando Haddad (PT), justifica a alta das multas ao aperto da fiscalização no trânsito, principalmente sobre as infrações cometidas contra pedestres.

A empresa disse ainda que ampliou sua atuação para regiões fora do centro.

O sindicato que representa os marronzinhos diz já ter ouvido relatos de funcionários que se dizem pressionados a autuar mais motoristas e a guinchar mais carros.

Segundo a CET, "não há orientação nem procedimento que indique" metas para elaboração de multas.

No total, mais de 6 milhões de multas foram aplicadas no primeiro semestre de 2015 na capital paulista. Em 2014 inteiro, foram 10,6 milhões.

Os radares ainda são responsáveis por mais de 70% das multas –foram 4,28 milhões entre janeiro e junho. Segundo a CET, a quantidade de aparelhos quase dobrou em um ano. Em agosto de 2014 eram 488 locais fiscalizados por radar, hoje são 818.

De acordo com a companhia, 1.854 agentes da CET e 690 agentes habilitados da SPTrans, Guarda Civil metropolitana e PM fazem a fiscalização do trânsito.

ARRECADAÇÃO

Pela legislação, os recursos obtidos com as infrações de trânsito precisam ser investidos em ações de educação de trânsito, engenharia e melhorias na sinalização.

Segundo a CET, foram arrecadados R$ 500 milhões nos primeiros sete meses do ano. No ano passado inteiro foram R$ 852 milhões.

A CET não detalhou, porém, como esse dinheiro obtido com a arrecadação das multas foi aplicado na cidade.

Folha de S. Paulo