Notícias

Livro traz novo olhar sobre 'Brasil japonês'
23/04/2012

 

Sob o Signo do Sol Levante - Uma História da Imigração Japonesa' mostra as mudanças ocorridas nos dois países

 


EDISON VEIGA - O Estado de S.Paulo


Quatro anos após as comemorações do centenário da imigração japonesa no País, será lançado às 19h de hoje, no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, na Liberdade, região central de São Paulo, um livro que acrescenta um novo olhar a essa história. Trata-se de Sob o Signo do Sol Levante - Uma História da Imigração Japonesa no Brasil, da Editora Paulo's Comunica e Artes Gráficas, de autoria de Shozo Motoyama.



"Comecei a pesquisar o tema há dez anos, incentivado por amigos. No último ano, mergulhei no trabalho para concluir o livro", conta o autor.


Filho de japoneses, Motoyama nasceu em 1940 em Getulina, no interior paulista. Graduado em Física, acabou enveredando pela História - tornou-se professor titular do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Depois, fez doutorado e pós-doutorado em História Social pela USP e pelas japonesas University of Tokyo e Waseda University.


Motoyama foi diretor do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil e hoje preside o Centro de Estudos Nipo-Brasileiros. Seu livro mostra da primeira leva de japoneses que desembarcou no Brasil à 2.ª Guerra Mundial e descreve tanto as mudanças ocorridas no Japão quanto as condições sociais, econômicas e políticas do Brasil nesse período.


Curiosidades. "Parte da cultura japonesa acabou integrada à brasileira. E isso é visível na comida japonesa e em algumas manifestações culturais e artísticas interessantes. Mas não é só. Em minha opinião, o legado mais importante que os japoneses deixaram para o Brasil está na ética do trabalho, na demonstração de seriedade com que viveram aqui", diz Motoyama.


O livro ainda homenageia artistas plásticos japoneses que contribuíram para a construção da imagem dos imigrantes. A capa, por exemplo, é ilustrada por um quadro de Tomoo Handa (1906-1996) - pintor, historiador, escritor e jornalista nascido no Japão, que imigrou para o Brasil em 1917.


Há outros detalhes interessantes. Como o episódio em que náufragos do navio Wakamiya Maru acabaram se tornando os primeiros japoneses a pisar em solo brasileiro, mais de cem anos antes das levas migratórias. A embarcação naufragou em 1803 e 16 tripulantes chegaram a uma ilha russa após ficarem sete meses no mar. Viveram na Rússia até que quatro deles manifestaram desejo de regressar à terra natal. Mas, com as fortes tempestades, o navio acabou aportando em Santa Catarina, em dezembro daquele ano. Partiram rumo ao Japão só quatro meses depois.


SOB O SIGNO DO SOL LEVANTE - UMA HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO JAPONESA NO BRASIL: LANÇAMENTO ÀS 19H DE HOJE NO MUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA (RUA SÃO JOAQUIM, 381, 9º ANDAR, LIBERDADE.


Fonte: Estadão.com.br/Cultura