Notícias

Pitch Gov SP define 15 aplicativos finalistas
26/11/2015

 

O Pitch Gov SP, ação que busca atrair startups (empresas recentes da área de tecnologia) para propor iniciativas inovadoras à administração pública paulista, apresentou na semana passada, em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, seus 15 finalistas. As empresas elaboraram soluções em três áreas (saúde, educação e facilidades ao cidadão), a partir de desafios propostos pela própria administração.

A ação é coordenada pela Secretaria de Governo do Estado, por meio da Subsecretaria de Parcerias e Inovação, em conjunto com a Associação Brasileira de Startups (AB Startups). Tem o apoio também da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação e da Prodesp.

Manifestaram a intenção de apresentar propostas, inicialmente, 304 startups, das quais 231 concluíram o processo de inscrição. Dessas, 110 inscreveram projetos para a área de educação, 73 para a de saúde e 48 para facilidades ao cidadão. As soluções buscam novas formas de atendimento no setor público, utilizando celulares, internet e mídias sociais.

As três comissões de análise que selecionaram as 15 finalistas têm até amanhã (27) para indicar, entre as escolhidas, quais se mostram mais viáveis para efetivação. A partir daí, as secretarias e órgãos de governo correspondentes a cada projeto terão 30 dias para convocá-las, com o objetivo de assinar convênios para a realização de testes dos aplicativos.

Maturidade – De acordo com o regulamento do Pitch Gov SP, os projetos deveriam, preferencialmente, enquadrar-se nos desafios que a administração estadual sugeriu. Teriam ainda de trazer soluções concretas, com protótipos funcionais. A maturidade da solução era um dos critérios de avaliação.

Isabel Bichucher Opice, assistente técnico da Subsecretaria de Parcerias e Inovação, informa que “as startups participantes seguiram os desafios propostos”. Muitas empresas indicaram aplicativos que já estão no mercado, com a orientação de que podem, com adaptações, atender às necessidades do poder público. “Não era intenção que os aplicativos fossem desenvolvidos especialmente para o Pitch Gov SP, até porque a maioria das propostas está num estágio maduro e oferece serviços para a iniciativa privada. O período de testes será utilizado para aperfeiçoar os aplicativos e adequá-los ao ambiente público”, explica Isabel. A seguir, as selecionadas:

Saúde – Aquarela – Software que transforma grande quantidade de dados em informações úteis e possibilita o desenvolvimento de políticas públicas direcionadas a grupos de pacientes com perfis similares.

Memed – Plataforma on-line para médicos, com informações atualizadas de mais de 20 mil medicamentos disponíveis para consulta, conectado a um sistema de prescrição que permite ao paciente ler sem dificuldades o que o médico receitou.

Plataforma Saúde – Kit que realiza os principais exames de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e colesterol, e interpreta os resultados para produzir em 20 minutos uma avaliação de risco completa para o paciente.

Saúde Controle – Plataforma que reúne o histórico de consultas e exames dos usuários em um só local. Envia também alertas para os pacientes, lembrando-os sobre os horários em que os medicamentos devem ser tomados.

Aime – Software que tem como objetivo prever, com um mês de antecedência, e num raio de 400 metros, locais que poderiam se tornar focos de dengue.

Facilidades ao cidadão – GetNinjas – Espaço virtual que ajuda alunos formados pelos programas de qualificação do governo, como os oferecidos pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado (Fussesp) e pelo Centro Paula Souza, a promover os seus serviços e encontrar clientes.

Handtalk – Aplicativo que faz tradução automática, para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), das informações de portais e postos de atendimento do governo. O intérprete virtual Hugo, personagem 3D, torna a comunicação interativa e de fácil compreensão para surdos.

iaiNet – Ferramenta que torna disponível o uso livre do wi-fi e permite o envio de conteúdo direcionado para diferentes públicos. Por meio de um software instalado na rede sem fio, monitora o fluxo de pessoas em um ambiente.

Nama – Robô que permite ao cidadão obter informações instantâneas sobre serviços oferecidos em órgãos públicos. Instalado num posto Poupatempo, por exemplo, funcionaria como um atendente virtual, identificando pela rede sem fio um usuário com smartphone e enviando mensagem oferecendo-se para responder suas dúvidas.

Solution – Plataforma que identifica cursos de capacitação profissional de acordo com o perfil do cidadão.

Educação – App Prova – Plataforma on-line de aplicação de testes que facilita a correção e a interpretação dos resultados e pode até substituir a prova em papel. Funciona como um game social, em ambiente lúdico e desafiador, que busca estimular o interesse dos alunos pelo estudo.

Árvore – Plataforma que oferece acesso ilimitado a livros disponíveis em uma biblioteca virtual. São mais de 14 mil exemplares, num acervo de eBooks em vários gêneros e categorias.

ClassApp – Agenda virtual no celular que conecta alunos, pais e professores, substituindo a velha agenda de papel. A comunicação se dá em tempo real, com o envio e recebimento de mensagens.

DevTecnologia – Software de identificação de desperdício, que ajuda a reduzir custos com consumo excessivo de água e energia elétrica, por exemplo, em equipamentos públicos.

Leva Eu – Plataforma que permite aprimorar a rota dos ônibus escolares para atender de modo mais adequado pais e alunos da rede pública.

DOE, Executivo I, 26/11/2015, p. IV