Notícias

Governo economiza R$ 34 bi para pagar juros
26/04/2012

 

Arrecadação cresce 15% acima da inflação

 

DE BRASÍLIA

Impulsionada pelo aumento das receitas, a economia feita pelo governo federal para abater a dívida pública cresceu 31% no trimestre, para R$ 33,8 bilhões -valor recorde para o período e equivalente a mais de um terço da meta fixada para todo o ano.


No período as receitas do governo com arrecadação de tributos e também com dividendos e royalties cresceram 15% acima da inflação, enquanto as despesas tiveram uma elevação de 12%.


"Estamos continuando a tendência já demonstrada nos dois primeiros meses de um bom resultado fiscal e uma possibilidade bastante tranquila no cumprimento do primário do ano", declarou o secretário do Tesouro, Arno Augustin.


Em março, contudo, o chamado superavit primário recuou 15,7% na comparação com o mesmo mês de 2011, somando R$ 7,6 bilhões.


O saldo de fevereiro foi garantido com uma arrecadação atípica de dividendos recolhidos das estatais.


JUROS


O governo anunciou em fevereiro deste ano um bloqueio de R$ 55 bilhões do Orçamento da União, em um esforço para garantir o cumprimento da meta fiscal e também abrir espaço para que o Banco Central reduza a taxa básica de juros.


Desde agosto do ano passado, a taxa Selic caiu 3,5 pontos, para 9% ao ano.


Os investimentos da União cresceram 23,5% no trimestre, alcançado R$ 15,7 bilhões, alavancados pelas despesas com o programa Minha Casa, Minha Vida.


Contudo, excluindo o programa federal -que até o ano passado era classificado pelo governo como subsídio, uma despesa de custeio-, o investimento caiu 8,6%.


"A tendência é de retomada de valores mais fortes",, afirmou Augustin: "Em um primeiro momento é o Minha Casa, Minha Vida, um programa que teve continuidade. Os outros tiveram transição".


Fonte: Folha de S.Paulo/Poder