Notícias

Justiça suspende decisão da ANS de fechar a Unimed Paulistana
02/02/2016

 

A Justiça Federal de São Paulo suspendeu, na noite de segunda-feira (1º), o fechamento da Unimed Paulistana.

O fechamento oficial da operadora de saúde, chamado de liquidação extrajudicial, havia sido determinado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) em decreto publicado na manhã de segunda.

A Unimed Paulistana recorreu à Justiça dizendo que o fechamento seria prejudicial para os clientes e para os 2.500 médicos cooperados. A Justiça concordou com os argumentos da empresa e decidiu suspender o decreto da ANS.

O juiz também afirmou que a Unimed Paulistana não deve ser fechada enquanto não terminar o processo judicial, em tramitação no Tribunal de Justiça de São Paulo, em que a empresa pede que seus prejuízos sejam divididos com as demais operadoras do sistema Unimed.

Prazo estendido
Outra medida anunciada pela ANS na segunda foi uma nova prorrogação do prazo para os clientes da Unimed Paulistana que ainda não mudaram de operadora. A data final agora é 1º de março.

Todos os clientes da Unimed Paulistana podem escolher outro plano disponível no sistema Unimed ou buscar outras empresas operadoras de planos de saúde, sem precisar cumprir carência.

Crise financeira
Em grave crise financeira, a Unimed Paulistana quebrou em setembro do ano passado.

Na ocasião, a ANS determinou que os 744 mil clientes da operadora deviam ser passados para outra empresa, e que novos planos de saúde não poderiam ser vendidos.

Pelo porte da empresa, foi o maior fracasso financeiro de uma operadora de saúde complementar da história brasileira.

Folha de S. Paulo