Notícias

Governo de SP vai pedir que ministério antecipe vacina no Estado
28/03/2016

 

CLÁUDIA COLLUCCI
DE SÃO PAULO

Diante dos surtos de gripe H1N1 quase dois meses antes do previsto, o governo paulista vai pedir nesta segunda-feira (28) ao Ministério da Saúde a antecipação da vacinação contra o vírus influenza no Estado de São Paulo. A informação é do secretário da Saúde, David Uip.

O Estado vive um aumento de casos de gripe e uma preocupação adicional com a sua forma mais grave, a SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), a única de notificação compulsória.

Até a semana passada, havia no Estado 191 casos de SRAG atribuídos ao vírus influenza em geral (157 ao H1N1), com 27 mortes —em dois meses, mais de metade dos casos registrados no ano passado inteiro.

A vacina já foi antecipada, com lotes do ano passado, na região noroeste do Estado, assim como ocorrerá com profissionais de saúde da capital.

VACINAS

Neste ano, dois tipos de vacina da influenza foram autorizados: a trivalente, que imuniza contra três tipos de vírus (dois A e um B), e a quadrivalente/tetravalente, que imuniza contra quatro tipos de vírus (os três da trivalente mais outro influenza do tipo B).

Em ambos os casos está inclusa a imunização contra o H1N1, que é o vírus influenza do tipo A e principal causador dos atuais surtos.

Na rede pública, apenas a vacina trivalente estará disponível no período de 30 abril a 20 de maio, isso se não ocorrer a antecipação.

Em algumas clínicas particulares já é possível encontrá-la. A quadrivalente deve chegar ao Brasil no dia 11 de abril, segundo o infectologista Celso Granato, professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Nas clínicas particulares, essas vacinas custam em torno de R$ 100.

Segundo Granato, após tomar qualquer uma das duas imunizações, a pessoa só estará protegida contra a gripe após um período de três a quatro semanas.

Folha de S. Paulo