Notícias

Melhores cursos do mundo incluem USP, Unicamp e Unesp
30/03/2016

 

Dez cursos superiores brasileiros estão entre os 50 melhores de sua área em todo o mundo, de acordo com estudo elaborado anualmente pela empresa britânica Quacquarelli Symonds (QS). Eles são oferecidos em universidades públicas paulistas: USP, Unicamp e Unesp. A QS é uma organização internacional de pesquisa em educação, especializada em instituições de ensino superior.

O ranking avaliou mais de 4 mil universidades no mundo, classificando as melhores de acordo com seis indicadores: reputação acadêmica; reputação entre empregadores; proporção de professor para estudante; citações científicas; número de estudantes estrangeiros; e corpo docente internacional.

Para a elaboração dos rankings foram levadas em conta consultas a 76.798 acadêmicos e a 44.426 empregadores, além da análise de 28,5 milhões de trabalhos científicos e de 113 milhões de citações bibliográficas.

Alta – Considerando esses critérios, foram elaboradas as listas dos 50 melhores cursos universitários do planeta em 42 campos de conhecimento. A Universidade de São Paulo (USP) obteve seus melhores resultados em seis faculdades nos respectivos top 50: Odontologia (9º lugar), Agronomia (26º), Antropologia (34º), Engenharia de Minas (36º), Arquitetura (37º) e Veterinária (38º).

Completam a lista os cursos de Odontologia (20º) e Agronomia (31º) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Odontologia (25º) e Veterinária (46º), da Universidade Estadual Paulista (Unesp). As listas foram divididas em cinco grandes áreas: Artes e Humanidades, Engenharia e Tecnologia, Ciências da Vida e Medicina, Ciências Naturais e Ciências Sociais e Administração.

Neste ano, 20 universidades brasileiras foram citadas no estudo, com 196 cursos incluídos entre os 200 melhores do mundo em suas áreas. Além de representar alta de 7% na participação brasileira – no ano passado foram citados 183 cursos –, o número de cursos brasileiros também é o maior entre os países da América Latina. A seguir vem o Chile, com 70.

Ameaça – No estudo realizado no ano passado, porém, o número de cursos brasileiros era maior: 14 entre os 50 melhores de cada ramo. Assim, o México, com 11 cursos entre os top 50, ultrapassou o Brasil, o que representa uma “ameaça ao domínio regional brasileiro em determinadas áreas”, segundo a avaliação da Quacquarelli Symonds.

O estudo mostrou ainda que duas universidades norte-americanas continuam a liderar quanto ao número de cursos considerados os melhores em seus campos de conhecimento. Tanto a Universidade de Harvard quanto o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) tiveram 12 cursos em primeiro lugar. Os EUA respondem por 35,69% dos cursos entre os 50 melhores em todas as áreas.

DOE, Executivo I, 30/03/2016, p. II