Notícias

Nove municípios paulistas integram a Rota da Luz
06/04/2016

 


importantes figuras religiosas, lançou o projeto turístico Caminha São Paulo, que apresenta caminhos contemplativos feitos a pé inspirados nas rotas percorridas no passado por mais um roteiro turístico. Trata-se da Rota da Luz, com início em Mogi das Cruzes, na Estação Estudantes, passando por Guararema, Santa Branca, Paraibuna, Redenção da Serra, Tau baté, Pindamonhangaba, Roseira e Aparecida – um dos maiores centros de peregrinação religiosa da América Latina.


Roteiro lançado pela Secretaria de Turismo começa em Mogi das Cruzes, passa por mais oito cidades até chegar ao destino fi nal, em Aparecida


Segundo Maurício Petiz, coordenador de turismo da Secretaria de Turismo do Estado, a iniciativa soma-se a outras rotas – Bandeirante, Franciscana e Passos dos Jesuítas, criadas de 2011 para cá. A primeira, inspirada no caminho que o bandeirante Fernão Dias Paes Leme trilhou, contempla Atibaia, Bragança Paulista, Bom Jesus dos Perdões, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista, Pedra Bela, Pinhalzinho, Piracaia, Tuiuti e Vargem.


A Franciscana relaciona trechos por onde andou Frei Galvão, natural de Guaratinguetá, a partir de São José dos Campos, passando por Lavrinhas, Bananal e São Luiz do Paraitinga. O roteiro denominado Passos dos Jesuítas compreende todo o trecho do litoral paulista, desde Peruíbe até Ubatuba.


Caminhantes - As três rotas, segundo o coordenador, registraram até agora mais de 5 mil participantes. Desses, 2,4 mil receberam certificado de conclusão da viagem, o que significa que os demais ainda estão em curso, pois o turista pode fazer esses caminhos por etapa. “O roteiro Rota da Luz é uma demanda dos romeiros que caminhavam às margens da Rodovia Presidente Dutra, e precisavam de uma opção mais segura”, diz


“Foi um pedido feito por eles à presidente do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp), Lu Alckmin, hoje madrinha do projeto e que, no momento, está na estrada com outros caminhantes, dando início ao novo roteiro”, conta o coordenador. Com essa rota, que certamente vai desenvolver o turismo na região, principalmente no mês de Nossa Senhora Aparecida, outubro, comenta Petiz, os peregrinos terão bem-estar e segurança, além de mergulharem numa viagem interior, de reflexão e meditação, e ainda usufruírem a natureza fora da rodovia movimentada, descobrindoa beleza dos municípios, em meio a fazendas de café e de leite, cachoeiras, matas, flora, fauna.


Percurso - São 194 quilômetros de caminhada por estradas vicinais ou rurais, com várias novidades a descobrir. Formada por estradas secundárias que convidam os turistas a apreciar a natureza, a rota aproxima os caminhantes da realidade local.


Todo o percurso é sinalizado com placas indicativas e os turistas poderão registrar sua passagem pelas cidades com a utilização de QR Code (código quadrado em 2D que pode ser escaneado pela câmera fotográfica do celular), instalado em estabelecimentos comerciais e locais públicos indicados no site rotadaluz.com.br.


Aparecida, grande centro de peregrinação religiosa, é o destino final da caminhada


Os usos e costumes das cidades ao longo do trajeto – cada uma delas com suas histórias e lendas – poderão ser conhecidos por meio de casos contados por seus habitantes.


Em Mogi das Cruzes, por exemplo, o passeio pelo Parque Centenário da Imigração Ja ponesa é atração à parte, para conferir as tradições nipônicas e suas belas paisagens. Me rece destaque a casa da família Takizawa. O turista também tem à disposição trilhas, mu seus, lagos, espaços de eventos e lanchonete.


Padroeira - Outro caminho curioso e igualmente atrativo é o de Guararema, conhecida como a Pérola do Vale e Cidade das Orquídeas, a 80 quilômetros da capital. O município destaca-se no Estado pela grande produção de orquídeas das mais variadas espécies, trazidas por algumas famílias japonesas na década de 1960. Mescla a natureza com a tradição histórica (o Brasil Colonial do século 17), construções antigas, pequenos recantos bucólicos e opções de lazer, como ilhas naturais cercadas pela mata atlântica.


Saindo de Mogi das Cruzes com destino a Guararema, o percurso é de 27,8 quilômetros. De lá, são 19,9 quilômetros em ireção a Santa Branca. A estrada seguinte tem 32 quilômetros e levará até Paraibuna. Continuando por mais 30,8 quilômetros, chega-se à Redenção da Serra, que está a 33,9 quilômetros de Taubaté.


O percurso continua até Pindamonhangaba por mais 23,6 quilômetros. Nesse ponto começa a parte final do trajeto, com 26 quilômetros e uma rápida passagem por Roseira antes de alcançar o destino, Aparecida – cidade cuja história está diretamente ligada à imagem da padroeira do Brasil Nossa Senhora Aparecida e, por isso, atrai 11 milhões de visitantes por ano.


Para participar, o caminhante se inscreve no site do programa (ver serviço) e obtém a identificação eletrônica, que permitirá a amigos e familiares acompanharem seu desempenho ao longo do trajeto por meio da checagem em totens eletrônicos, que enviam as informações diretamente para a internet.


Maria das Graças Leocádio


DOE, Executivo I, 06/04/2016, p. IV