Notícias

EMTU investe em tecnologia no atendimento a surdos-mudos
05/07/2016

 

Há aproximadamente 20 dias, uma nova ferramenta vem transformando os serviços no Centro de Atendimento ao Passageiro Especial (Capes) da EMTU/SP, localizado na região do Jabaquara. O local recebe usuários com diversos tipos de deficiência, para a emissão do cartão BOM Especial, de isenção tarifária, nos ônibus urbanos, para aqueles que estão sem emprego.

Uma moderna plataforma, chamada Icom, permite agora a tradução simultânea – em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) – no atendimento a pessoas com deficiência auditiva, especialmente aquelas que não conseguem fazer a leitura labial. A comunicação no Capes, normalmente feita de modo precário por escrito ou até mesmo por mímica, é realizada de forma clara e rápida, proporcionando acolhimento ao usuário surdo-mudo.

Inclusão – A tecnologia, lançada em 2014 durante a 13ª Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, foi desenvolvida pela Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais (AME), instituição sem fins lucrativos, fundada em 1990 por iniciativa de pais e amigos de pessoas com deficiência que trabalhavam no Metrô de São Paulo. Pelo sistema, a tradução é feita como se fosse numa videoconferência, em que de um lado estão o usuário e o atendente da Capes e, do outro, um intérprete fluente na linguagem de Libras.

“O Icom permite a inclusão dessas pessoas, que se sentem atendidas em sua necessidade, e saem daqui sorrindo e muito satisfeitas”, afirma a coordenadora de atendimento do Capes, Lilian Gonçalves. Ela explica que um dos pontos altos do sistema é permitir que o deficiente tenha um atendimento humanizado, no qual do outro lado encontra-se uma pessoa, disposta a ajudá-los e que entende a sua língua.

Avanço – “Aqui, lidamos com documentos específicos, que precisam ser solicitados, e, muitas vezes, não é fácil explicar nem mesmo para quem não tem deficiência. Os usuários surdos podem agora sanar todas as suas dúvidas no momento do atendimento.

Dos quase 13 mil cadastrados no programa BOM Especial na Região Metropolitana de São Paulo, o Capes do Jabaquara recebe, em média, 140 pessoas com problemas auditivos por mês. Os dez atendentes da unidade, todos com algum tipo de deficiência, têm conhecimentos básicos da linguagem de Libras.

O técnico do Programa de Isenção Tarifaria da EMTU, Juarez Souza, comemora a parceria com a AME: “De 1980 – Ano Inter nacional da Pessoa com Deficiência – para cá, muitas foram as conquistas. Naquela época ainda era comum as famílias protegerem a pessoa deficiente, mantendo-a em casa. Hoje em dia, o deficiente não só vai para a rua, como faz isso de forma cada vez mais autônoma”.

O sistema pode ser instalado tanto em computadores e laptops quanto em tablets. Já está presente no Ministério Público de São Paulo, na Defensoria Pública de São Paulo, na Secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e também no Ganha Tempo de Barueri (da prefeitura).

Na versão multimídia, o Icom pode ser apresentado também na forma de uma caixa holográfica que, além da intermediação da comunicação entre atendente e surdo, dispõe de opções de entretenimento, mensagens institucionais ou publicitárias.

A companhia aérea Gol oferece essa versão em dois aeroportos paulistas: Guarulhos e Congonhas. “Esperamos que essa tecnologia torne-se cada vez mais comum, nos mais variados espaços públicos”, afirma Juarez.

DOE, Executivo I, 05/07/2016, p. I