Notícias

Educação para o trânsito na semana do motorista e do motociclista
26/07/2016

 

Nesta semana, o País celebra os dias do motorista (25) e do motociclista (27). O Estado de São Paulo concentra a maior frota do País e número de motoristas. São quase 28 milhões de veículos registrados (um terço da frota brasileira) e 22,7 milhões de pessoas habilitadas nos 645 municípios paulistas.

Com esse cenário, o trânsito acaba sendo espaço de grande convivência. E se o trânsito é formado por condutores, ciclistas e pedestres, é sempre bom relembrar que o comportamento responsável e o respeito às normas de trânsito e ao outro fazem a diferença no cotidiano de todos.

Manter a atenção, ser gentil e adotar postura prudente podem evitar conflitos e contribuir para um trânsito mais seguro, reduzindo o número de acidentes e mortes. Mais de 40 mil vidas são perdidas no trânsito por ano em todo o Brasil. Em São Paulo, esse número chega a 7 mil anualmente.

“As datas são propícias para reforçar a importância do uso consciente dos veículos e de dar prioridade sempre à vida. O Detran.SP (ver serviço) tem ampliado suas ações direcionadas à segurança no trânsito, com participação em comitês de discussão, promoção de campanhas educativas e estímulo à pesquisa”, ressalta Neiva Aparecida Doretto, diretora-vice-presidente do Detran.SP.

A seguir, confira algumas atitudes que podem melhorar o trânsito, evitar acidentes, multas e aborrecimentos.

Beber e dirigir – O álcool prejudica os reflexos e a coordenação. Jamais dirija após ingerir bebida alcoólica, por menor que tenha sido a quantidade, porque aumenta muito a possibilidade de acidentes.

Motociclista deve sempre usar capacete, calçados e vestuário adequados. Em caso de acidente, eles podem fazer a diferença entre apenas um susto ou um ferimento muito grave.

Os motociclistas são o segundo tipo de vítima fatal mais frequente no Estado, cerca de três vezes mais que os pedestres, segundo levantamento do Observatório Paulista de Trânsito (ver serviço).

Desatenção – O motorista deve manter-se atento ao trânsito e não ao celular. O aparelho é inimigo dos condutores, pois desvia a atenção e tira a capacidade de reagir rapidamente, caso seja necessário. O aparelho somente poderá ser utilizado quando o veículo estiver estacionado, jamais em movimento ou em breves paradas, como em semáforos e pedágios.

Enquanto o veículo estiver em deslocamento, o celular pode ser utilizado apenas na função GPS e deve ficar fixado no para-brisa ou no painel dianteiro. Para ativar a função GPS, no entanto, é preciso estacionar. A mesma regra vale para motocicleta.

O celular é inimigo também dos pedestres que, por vezes, atravessam as vias desatentos, e podem ser vítimas de atropelamentos, tipo de acidente que, segundo levantamento do Observatório Paulista de Trânsito, lidera o ranking de óbitos em todo o Estado.

Sinalização – No trânsito, é importante ver e se manter sempre visível. O condutor precisa sinalizar suas ações relacionadas ao percurso com antecedência para os demais motoristas e pedestres. A seta deve ser acionada antes de mudar de faixa ou de direção, fazer ultrapassagens, conversões e retornos.

Colisões laterais e frontais são comuns e podem causar acidentes com lesões fatais ou fazer vítimas com ferimentos graves. Ultrapassagens feitas de modo irregular, pela direita da faixa ou em locais proibidos são causas comuns desse tipo de acidente. A regra vale para todos: a ultrapassagem de outro veículo em movimento deve ser feita em locais permitidos pela sinalização e sempre pela esquerda, exceto quando o veículo a ser ultrapassado estiver na faixa apropriada e sinalizando para entrar à esquerda.

Ciclista – Adotar uma velocidade adequada ao trânsito evita aborrecimentos e ocorrências com ferimentos ou mortes. Em hipótese alguma ultrapasse o limite máximo indicado na via. Mas nem sempre será possível andar no limite, principalmente quando a via estiver congestionada, por exemplo. Assim, é fundamental respeitar as características do trânsito e manter sempre a calma. Estresse não contribui em nada. Menos ainda no trânsito. Reduza a velocidade também em locais onde, por exemplo, exista maior concentração de pedestres, ciclistas e motociclistas.

Caso haja um ciclista na pista de rolamento, é preciso manter a distância de 1,5 metro. Respeitar o espaço de deslocamento entre o veículo e o ciclista é vital. Os veículos maiores devem dar preferência aos menores. Dados do Observatório Paulista de Trânsito revelam que os ciclistas ocupam o quarto lugar de vítimas fatais ou internadas por acidentes de trânsito no Estado. O motorista deve reduzir a velocidade e redobrar a atenção ao se aproximar de um deles nas ruas.

Preferenciais – Desde janeiro, o motorista que desrespeita o uso das vagas preferenciais (reservadas às pessoas com deficiência e idosos) em estacionamentos passou a ser tratado com mais rigor.

A faixa de pedestres é para o pedestre. No entanto, uma infração bastante comum é o condutor parar o veículo sobre a faixa de pedestres na mudança do semáforo. Com isso, o pedestre é obrigado a atravessar fora da faixa e corre o risco de ser atropelado. Os pedestres continuam sendo as principais vítimas fatais no trânsito no Estado, segundo levantamento do Observatório Paulista de Trânsito. O motorista precisa reduzir sempre a velocidade nos locais de travessia e de grande concentração de pedestres – escolas, hospitais e terminais de ônibus, trens e Metrô.

DOE, Executivo I, 26/07/2016, p. I