Notícias

Itamaraty começa a digitalizar arquivo do Rio e de Brasília
17/05/2012

 

CLAUDIA ANTUNES
DO RIO

O Itamaraty vai iniciar a digitalização do seu arquivo de 80 milhões de documentos, distribuídos entre Rio e Brasília. O material será gradualmente posto na internet, a partir do segundo semestre.


Do Arquivo Histórico, no Rio, que guarda a documentação até 1959, serão digitalizados primeiro os cerca de 30 mil itens do acervo de José Maria da Silva Paranhos Júnior, o barão do Rio Branco.


Chanceler de 1902 a 1912, o barão é considerado o patrono da diplomacia nacional.


Em Brasília, a digitalização começará pela correspondência da missão brasileira na ONU, informa o diplomata João Pedro Costa, diretor do Departamento de Comunicações e Documentação.


Costa disse que a iniciativa foi consequência da nova Lei de Acesso à Informação.


A digitalização, porém, poderá demorar anos. Não tanto pelo custo, de R$ 1 por página, mas porque a documentação será reorganizada para ser colocada na internet.


Hoje, telegramas que já têm cópia digital convivem com milhões de mensagens só disponíveis em papel.


Em tese, todo o arquivo diplomático anterior a 1959 já estava liberado à consulta.


No entanto, na transferência do Itamaraty para Brasília foram levados telegramas secretos anteriores àquele ano, que deverão ser devolvidos ao arquivo no Rio.


A liberação seguirá os prazos previstos na lei: 25 anos para os papéis ultrassecretos; 15 anos para os secretos e 5 anos para os reservados.


Fonte: Folha de S.Paulo/Poder