Notícias

Alckmin e presidente armênio falam em parcerias no setor agrícola
12/08/2016

 

Serzh Sargsyan agradeceu ao governador do estado de São Paulo pelo reconhecimento do Genocídio Armênio

 

Nesta sexta-feira (12) o governador Geraldo Alckmin recebeu no Palácio dos Bandeirantes mais um líder internacional. Esta foi a vez do presidente da República da Armênia, Serzh Sargsyan. O reconhecimento do genocídio armênio pelo estado de São Paulo e possíveis parcerias no setor agrícola estiveram na pauta do encontro. Alckmin também lembrou do início das civilizações, que também passa pela Armênia.

"Os armênios têm apresentado a resistência e a firmeza das rochas na manutenção da sua identidade, apesar dos inúmeros percalços que enfrentaram. O maior deles, sem dúvida, que, a partir de 1915 vitimou cerca de 1,5 milhão de pessoas e no ano passado o estado de São Paulo, por meio de lei estadual, instituiu o dia de lembrança das vítimas do genocídio do povo armênio", disse Alckmin.

Futuras parcerias em educação e no setor agrícola, a criação de um Centro de Estudos Brasileiros em universidade na Armênia e o Genocídio Armênio reconhecido pelo estado de São Paulo fizeram parte dos assuntos discutidos no encontro dos dois líderes.

Esta foi a segunda vez que o governador Alckmin recebeu um presidente da Armênia. A primeira foi em maio de 2002, quando o então presidente Robert Kocharian, a esposa Bella Kocharian e sua comitiva foram recebidos na sede do governo paulista.

Além do governador e Sargsyan, participaram do encontro a assessora Ana Paula Fava, a embaixadora chefe do Itamaraty em São Paulo Débora Baremboim, os secretários da Justiça, Márcio Elias Rosa, e da Agricultura, Arnaldo Jardim, o chanceler Eduard Nalbadian, o embaixador da Armênia no Brasil, Ashot Galoyan, a cônsul honorária da Armênia em São Paulo, Hilda Burmaian, e o presidente do Banco Sofisa, Alexandre Burmaian.

Em nove dias, Geraldo Alckmin recebeu quatro chefes de Estado: a vice-premiê da China, Liu Yandong, o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Souza, o presidente húngaro János Áder e agora o presidente da República da Armênia, Serzh Sargsyan.

Do Portal do Governo do Estado