Notícias

Premiação do Desafio Aedes aegypti integra Semana Luiz de Queiroz
11/10/2016

 

A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP) fará hoje, 11, em Piracicaba, a entrega dos prêmios do Desafio Aedes aegypti. Trata-se de um projeto temático da faculdade, que neste ano teve como tema o combate ao mosquito transmissor de dengue, zika vírus e febre chikungunya. A competição foi dividida nas categorias Frases; Iniciativas educativas e práticas; Tecnologias e publicações.

A premiação faz parte da 59ª Semana Luiz de Queiroz, que terá diversas atividades até sábado, 15. Promovida pela Esalq, Prefeitura do Câmpus USP Luiz de Queiroz e Associação dos Ex-Alunos da Esalq (Adealq), a semana é um evento que busca congregar alunos e egressos dos cursos da Esalq, professores, pesquisadores, agricultores, empresários, lideranças públicas e setoriais em atividades técnicas, científicas e culturais. Como em todos os anos, nesta semana a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado transfere o gabinete para a Esalq.

Vencedores – Na categoria Frases, o 1º lugar do De safio ficou com Fábio Torrezan, de 32 anos, editor de imagens da TV USP Piracicaba. Sua frase é: “Zuuuum, faz o mosquito traiçoeiro. Prolifera-se nas águas e pica o mundo inteiro”. Torrezan diz que foi motivado a participar ao presenciar a mobilização da comunidade em torno do tema. “Vira e mexe fazemos matérias sobre o assunto, então resolvi tentar. Usei linguagem bem informal, como as pessoas fazem hoje em dia nas redes sociais”, explica.

O trabalho da equipe vencedora na categoria Tecnologias e publicações estuda o uso de substâncias naturais ativas, diluídas em água, contra o Aedes aegypti. “Utilizamos cravo-da-índia, pimenta-preta e gengibre, para testar a efetividade no combate à larva do mosquito”, afirma Guilherme Gomes de Carvalho, 17 anos, aluno do 1º ano de graduação em Gestão Ambiental, na Esalq.

“Os resultados foram bons para o cravo-da-índia e a pimenta-preta. Para o gengibre, nem tanto”, informa o estudante. A pesquisa teve origem em trabalho de conclusão de curso (TCC) realizado em 2015 na Escola Técnica (Etec) Coronel Raphael Brandão, em Barretos, onde Guilherme estudava.

“Analisamos que é possível utilizar substâncias naturais e não agressivas ao meio ambiente em substituição aos compostos químicos”, diz. Os demais integrantes da equipe são três ex-colegas da Etec, João Borges, Julia Moura e Milena Ferreira, além do professor orientador, Valdomiro Pereira de Souza Junior.

O 1º lugar na categoria Iniciativas educativas e práticas ficou com a equipe integrada por André Ricardo Machi, 33 anos, doutorando no Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP, e seis servidores da USP de Piracicaba: Josenilton Mandro, Willian Camargo, Miguel Silva, Valdinei Camargo, Joseval Mandro e Luís Rafael Lorena.

“O Josenilton tinha lido artigos sobre uso do capim-colonião para controle do Aedes aegypti. Ele e os demais me procuraram, porque sabiam que minha pesquisa é relacionada ao mosquito”, conta André. No trabalho, eles montaram armadilhas em vários pontos do câmpus. Em algumas delas, havia água de chuva; em outras, uma infusão do capim-colonião. O objetivo é descobrir onde ocorre o mosquito, no câmpus, e se o capim atrai mais as fêmeas que irão pôr ovos. Caso a hipótese se confirme, pode-se pensar, no futuro, em armadilhas que utilizem a infusão dessa planta.

André garante que tudo foi feito de modo ecologicamente correto e com a preocupação de não possibilitar a proliferação do Aedes aegypti. O trabalho de coleta de dados ainda se estenderá até o fim do ano, pelo menos. “Os resultados devem começar a aparecer agora, quando o clima está mais quente”, afirma.

Programação – A programação da Semana Luiz de Queiroz, que pode ser consultada pela internet (ver serviço), abrange várias atividades, entre as quais palestras, lançamentos de livros e competições de rúgbi e de atletismo. A Virada Científica, na quinta-feira, divulgará pesquisas e projetos para toda a população.

No sábado, ocorrerão a tradicional reunião de ex-alunos da instituição e a comemoração do Dia Nacional do Engenheiro Agrônomo.

DOE, Executivo I, 11/10/2016, p. I