Notícias

SP inicia reconstrução do Museu da Língua Portuguesa
12/12/2016

 

Obras vão até 2018; investimento privado é de R$ 65 milhões

 

O Museu da Língua Portuguesa já tem data para estar totalmente reconstruído: será em dezembro de 2018. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin nesta segunda-feira (12). "As obras de restauração começam neste mês de dezembro", informou.

Alckmin também destacou que o restauro garantirá que o Museu retorne ao público "modernizado, com tecnologia de ponta, com a arquitetura preservada, com mais segurança contra incêndio e acessibilidade". O incêndio que atingiu o Museu aconteceu em dezembro de 2015.

O custo total da reconstrução é de R$ 65 milhões. Desse total, R$ 34 milhões virão da indenização do seguro contra incêndio. Já a iniciativa privada investirá R$ 36 milhões, o que totaliza R$ 70 milhões.

Desse montante, R$ 3 milhões já foram investidos nas ações emergenciais; e R$ 2 milhões serão destinados para contribuir com o primeiro ano de manutenção do Museu. A EDP é patrocinadora máster. Grupo Itaú e o Grupo Globo são patrocinadores do Museu, que conta ainda com apoio da lei federal de incentivo à Cultura.

"Hoje temos motivos de sobra para nos sentirmos orgulhosos ao ver o Estado de São Paulo e todos os patrocinadores unidos por uma causa tão nobre que é a reconstrução do nosso Museu da Língua Portuguesa", declarou o embaixador de Portugal no Brasil Jorge Dias Cabral.

O anúncio ocorreu durante evento no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Paulista. Estiveram presentes, além do governador e do embaixador de Portugal, o secretário de Estado da Cultura José Roberto Sadek; o ministro da Cultura Roberto Freire; o presidente da Fundação Roberto Marinho e vice-presidente do Grupo Globo José Roberto Marinho; o CEO da EDP Miguel Setas e o diretor do Itaú Cultural Eduardo Saron.

Obras

Iniciadas em dezembro de 2016, as obras de reconstrução física vão até dezembro de 2018. Já a implantação da museografia começará em 2018 e a previsão de conclusão é março de 2019. A data de inauguração só será definida após a conclusão dos projetos.

As intervenções feitas na fachada vão durar doze meses e reestabelecerão a ambiência arquitetônica, com o restauro das quatro fachadas do prédio, bem como a recuperação e reconstrução das esquadrias de madeira atingidas pelo incêndio.

O restauro das fachadas foi aprovado pelos três órgãos do patrimônio histórico - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), órgão de âmbito estadual; e Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo(Conpresp).

O projeto da estrutura da cobertura já está em desenvolvimento. Também será iniciado o desenvolvimento dos projetos de climatização, elétrica, hidráulica e combate a incêndio, revestimento da cobertura em zinco.

Uma consultoria ambiental também será desenvolvida para que o projeto obtenha o selo LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), certificação para construções sustentáveis, concebida e concedida pela Organização não governamental americana U.S. Green Building Council (USGBC).

Nas obras serão contempladas, ainda, adaptações relativas à adequação às mudanças na legislação e à experiência de uso do prédio durante seus dez anos como museu.

Projeto original

A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa está sendo baseada no projeto original, aprovado pelos órgãos reguladores na época da inauguração do Museu, em 2006.

Para garantir que as obras estejam dentro do padrão, o arquiteto Pedro Mendes da Rocha foi contratado para realizar as adaptações no projeto de arquitetura. O arquiteto é responsável pelo desenvolvimento do projeto original do Museu da Língua Portuguesa junto com Paulo Mendes da Rocha.

Do Portal do Governo do Estado