Notícias

Nove obras têm os recursos bloqueados em 2017 por irregularidades
15/12/2016

 

Os empreendimentos não poderão ser executados com verbas do Orçamento do próximo ano enquanto perdurarem pendências identificadas pelo TCU

 

O Congresso Nacional aprovou, nesta quinta-feira (15), o bloqueio de recursos para nove obras federais em 2017. Em todas foram apontados indícios de irregularidades graves em fiscalizações do Tribunal de Contas da União (TCU).

Os empreendimentos são os seguintes: Usina Termonuclear de Angra 3 (RJ); Hospital Regional de Queimados (RJ); BR-040 (RJ); Vila Olímpica de Parnaíba (PI); Canal do Sertão (AL); esgotamento sanitário de Parnamirim (RN) e de Porto Velho (RO); corredor de ônibus Radial Leste da capital paulista (SP); e BRT de Palmas (TO).

As obras não poderão ser executadas com recursos do Orçamento do próximo ano enquanto perdurarem as pendências identificadas pelo tribunal. Entre os problemas apontados estão sobrepreço, superfaturamento, ausência de estudos de viabilidade técnica e econômico-financeira, projetos deficientes, entre outros.

As obras com recursos bloqueados integrarão um anexo específico da lei orçamentária (Anexo VI). Pelas regras orçamentárias, somente o Congresso pode autorizar o desbloqueio das dotações previstas.

Situação

Os casos mais graves de irregularidades são da implantação da Usina Nuclear de Angra 3 e o aditivo ao contrato de concessão da BR-040, trecho Juiz de Fora (MG)/Rio de Janeiro (RJ).

No caso de Angra, o TCU encontrou problemas em contratos de obras civis, como superfaturamento (que chegou a R$ 301 milhões em apenas um dos contratos da obra) e gestão fraudulenta. Já em relação à BR-040, houve, segundo o tribunal, pagamento irregular à concessionária da rodovia. O pagamento, que saiu do Orçamento federal, não estava previsto no edital de licitação da concessão.

Agência Câmara de Notícias